segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2016 10:12h Polícia Civil

Polícia Civil prende suspeitos de praticarem golpes de estelionato de até R$ 1 milhão

A Polícia Civil prendeu, em Confins, Região Metropolitana de Belo Horizonte, Flávio Siqueira, de 50 anos, e Talisson Luis Diniz Paiva, de 39

Os suspeitos são investigados pela polícia por integrarem uma organização criminosa especializada em fraudes bancárias, com atuação em todo o estado. A operação foi na noite da última quinta-feira (18) e, segundo as apurações, o prejuízo estimado com a ação do grupo chega a quase R$ 1 milhão.

Os levantamentos feitos pela Polícia Civil indicam que o golpe consistia na seguinte dinâmica: os suspeitos se identificavam em diversos comércios como funcionários da bandeira do cartão de crédito e informavam aos comerciantes que estavam no local para fazer uma manutenção no sistema e, então,  instalavam uma máquina para copiar os dados dos clientes. Os comerciantes não percebiam a troca de imediato porque a máquina instalada simulava a compra normalmente sem a mesma ser efetivada.

O delegado Ramon Sandoli faz um alerta aos comerciantes para evitar que caiam nesse tipo de golpe. “Os comerciantes devem confirmar sempre antes de autorizar a manutenção nas máquinas de cartão de crédito se aquele funcionário pertence à empresa da bandeira do cartão e se aquela visita foi mesmo agendada pela empresa”, disse.

Com a dupla, foram arrecadados equipamentos tecnológicos específicos para a confecção de cartões e documentos de identidades, como impressoras que imprimem cartões de crédito e softwares especialmente desenvolvidos para a prática de fraudes. Ao todo, foram apreendidos mais de 150 cartões de crédito, além de diversas cédulas próprias para confecção de identidades e CNHs.

Conforme explica o delegado responsável pelas investigações, Hugo Malhano, a quadrilha agia em todo o estado, usando cartões de várias instituições bancárias. “Eles falsificavam identidades e abriam contas em bancos, obtendo empréstimos, talões de cheque e cartões”, explicou. De posse dos benefícios, o grupo aplicava diversos golpes no mercado.

O delegado adiantou, ainda, que um terceiro envolvido, que seria o líder da organização criminosa, já foi identificado e a equipe já trabalha para conseguir sua prisão. Os presos foram autuados por formação de quadrilha e falsificação de documento público e particular. As investigações continuam para averiguar a identificação de outros envolvidos e das possíveis vítimas.

Objetos apreendidos: 150 cartões de crédito, 18 identidades, um VW/Gol, cinco impressoras, um digitalizador de imagens, dois notebooks, um carimbo médico, quatro aparelhos celulares, três pen-drives e sete talões de cheque.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.