sexta-feira, 14 de Dezembro de 2012 04:03h Atualizado em 14 de Dezembro de 2012 às 04:08h. Erik Ullysses

Polícia Civil realiza apreensão de quase 100 quilos de maconha em Divinópolis

Apreensão é fruto da “Operação Alerta” que detectou uma conexão interestadual de tráfico de drogas entre Mato Grosso do Sul e Divinópolis

Na manhã de ontem a Polícia Civil de Divinópolis apresentou o resultado de uma investigação iniciada há mais de dois meses. 96 quilos e 600 gramas de maconha apreendidas durante a “Operação Alerta”, e um esquema de conexão interestadual de drogas desmanchado. A operação foi realizada conjuntamente com outras unidades da PC do estado de Minas Gerais, o Grupo de Combate às Organizações Criminais do Ministério Público de Minas e o departamento de Investigações Antidrogas. A operação resultou ainda em dois suspeitos presos.
De acordo com o chefe do Grupo de Combate ao Crime Organizado, o delgado Wanderson Gomes da Silva, a investigação de organizações criminosas já durava há mais de dois anos. Durante este período, a Polícia Civil de Minas Gerais descobriu o esquema que promovia o tráfico entre os estados do Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. “Existe uma investigação da Polícia Civil de Minas Gerais há cerca de 60 dias voltada para a repressão qualificada às organizações criminais. Ao longo dessas investigações detectamos uma conexão de drogas interestadual entre os estados do Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Avançando as investigações detectamos que essa droga chegaria aqui na região de Divinópolis e posteriormente seria distribuída para traficantes desta cidade e para traficantes da região metropolitana de Belo Horizonte” explicou.
Foram presos na operação dois homens, Marcelo Pereira de Lima, 40 anos, também conhecido como “Veinho” e responsável pelo transporte dos entorpecentes para Divinópolis, e o seu genro, Luiz Quadros Dias, de 27 anos, e que auxiliava na venda da droga para outros traficantes de Divinópolis e da região metropolitana de Belo Horizonte. A maconha era trazida do Mato Grosso do Sul para Divinópolis por “Veinho” em um caminhão Mercedes Benz. A apreensão ocorreu em uma casa no bairro Candelária, e além das drogas foram apreendidos o caminhão, um carro, uma balança de precisão e cinquenta munições de calibre 22.
Alexandre Castro, chefe do 7° Departamento de Polícia Civil, contou que há um mês a Polícia Civil de Divinópolis foi contatada pelos investigadores de Belo Horizonte, que repassaram a situação das investigações que apontavam para Divinópolis como destino dos entorpecentes. A partir daí, a PC de Divinópolis passou a investigar o caso. Passaram a ser observados o bairro onde poderia ser a residência dos suspeitos, o caminhão e o carro utilizado no transporte das drogas. “Aproximadamente há um mês foi feito o contato com a gente, que depois das investigações que eles já estavam realizando em Belo Horizonte e em vários estados também e esbarrou na cidade de Divinópolis com essas duas pessoas e com essa droga que estaria vindo para cá e outras que já teriam vindo”.
Alexandre disse ainda que “Veinho” e o genro descarregaram os quase 100 quilos de maconha do caminhão em plena luz do dia, na tarde do dia 7 de dezembro. Como a Polícia Civil já investigava a casa e os suspeitos, esperaram a hora certa para entrarem na residência e prendê-los em flagrante.
O delegado regional de Divinópolis, Fernando Vilaça, e que realizou o flagrante dos dois suspeitos, falou que os dois não esboçaram reação durante a prisão. “A gente já estava acompanhando os dois em um serviço conjunto. Aí foi feita a abordagem, não houve resistência, eles foram conduzidos para a Delegacia onde eles foram autuados” afirmou.
Fernando Vilaça disse ainda que as investigações prosseguem e que possivelmente outras pessoas poderão vir a ser presas. Visão também compartilhada pelo delegado Wanderson Gomes explicou que após a desarticulação da conexão de tráfico internacional as investigações prosseguirão, e que outros envolvidos já estão na mira da Polícia Civil. “As investigações prosseguem e com certeza iremos identificar as pessoas que iriam receber parte dessa droga em Divinópolis e do restante das drogas que seriam comercializadas ilicitamente em Belo Horizonte” concluiu.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.