quinta-feira, 24 de Abril de 2014 06:47h Atualizado em 24 de Abril de 2014 às 06:54h. Aaron Oliveira

Polícia Civil reivindica melhores salários

Corporação mineira é a mais efetiva do país e a pior em remuneração.

O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Minas Gerais (Sindepominas) divulgou uma nota com o calendário dos dias de paralisação. O intuito é reivindicar melhorias salariais para a classe.
O delegado da Polícia Civil (PC), Marcos Mont’Alverne, explica que os policiais estão buscando também melhorias estruturais não só para a carreira de delegado, mas para toda a equipe, pois a estrutura em termos de pessoal está muito deficitária. Dos 420 delegados que assumiram no último concurso, cerca de 80 a 100 já pediram exoneração em menos de um ano.
Segundo Marcos, a consequência é que a carga de serviço vem acumulando para os que ficam. Comparada a outras carreiras jurídicas eles tem um alto déficit salarial. “Nós queremos pelo menos uma condição razoável, tendo em vista o serviço social que nós prestamos, o risco que corremos e [que] colocamos em risco nossa integridade física em prol da sociedade”. Querendo valorização do governo, não apenas salarial, mas estrutural também, os delegados buscam paralisações progressivas, pontuais, de forma que não prejudique a população, e através do sindicato, esperando abrir as portas para o governo.
O cargo é muito desvalorizado se comparado a outros estados, hoje o delegado de Polícia de Minas Gerais recebe o pior salário do Brasil. De acordo com o também delegado da PC, Marcelo Nunes Junior, a Polícia Civil de Minas Gerais é a corporação que mais faz apreensões em todo o Brasil. “A Defensoria Pública ganha em torno de R$18 mil, mais que o dobro do que um delegado [da PC] ganha hoje”, ressalta Marcelo.
A Polícia Civil, mesmo com as paralisações, não deixa de atender aos casos de urgência como estupros e homicídios. Mas serviços como expedição de segundas vias de documentos pessoais e veículos, por exemplo, não serão executados.

 

Crédito da foto :  Aaron Oliveira

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.