quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2013 04:01h Erik Ullysses

Polícia Federal incinera mais de 900 quilos de maconha

Processo de incineração levou apenas alguns minutos. A maconha havia sido apreendida após um acidente na BR-262, próximo a cidade de Luz

A Polícia Federal de Divinópolis realizou na tarde de ontem a incineração de 906 quilos de maconha em uma siderúrgica da cidade. A droga queimada havia sido apreendida pela Polícia Federal no dia 16 de dezembro do ano passado, logo após um acidente na cidade de Luz onde um caminhão com carga de ácido bórico tombou na pista, revelando além do ácido uma grande quantidade de maconha.
A maconha chegou na siderúrgica, situada no bairro Ipiranga, em dois carros da PF por volta de 15h30, escoltado por outras viaturas. O processo de incineração foi rápido e antes das 14 horas todo o entorpecente já havia sido queimado. Danilo Daldegan, técnico de segurança do trabalho, explicou que a incineração ocorre de forma rápida devido a alta temperatura dos fornos e ressaltou que o processo não atrapalha a produção da siderúrgica utilizada. “A incineração de hoje é um processo normal. O panelão tem uma temperatura aproximadamente de 900 a 1100° graus e a incineração ocorre em questão de segundos. É um processo muito rápido e não atrapalha em nada a produção da siderúrgica e nem o vazamento do forno” garantiu.
Desde a apreensão da maconha até a sua incineração na tarde de ontem passaram-se 51 dias. O delegado da Polícia Federal, Daniel Souza Silva, explicou que no decorrer desses dias a droga precisou passar por um processo de avaliação, até ser liberada para que fosse incinerada. “A lei de tóxico determina todo um processo para que você possa incinerar a droga. Como a droga é a materialidade desse crime a gente precisa primeiro de um laudo constatando que se trata de material entorpecente. Isso é feito pela perícia da Polícia Federal que fica em Belo Horizonte. Após a emissão desse laudo a gente já não precisa da droga mais para fazer prova no inquérito. Após essa constatação a gente pede autorização, no caso aqui em Divinópolis ao Juiz Federal, para fazer essa incineração. Então a partir dessa autorização a droga é incinerada” explicou.
O acidente que revelou as drogas aconteceu na BR-262, próximo à cidade de Luz. Terceiros acionaram a Polícia Militar e comunicaram que havia ocorrido um acidente e quando chegaram ao local constataram que em meio a carga estava escondido os entorpecentes. Na ocasião o motorista, Carlos Trindade, de 52 anos, foi socorrido a um hospital de Luz e posteriormente preso.
O delegado Daniel explicou como andam as investigações a respeito do caso. “O motorista da carreta que sofreu o acidente ficou sobre cuidados médicos, e assim que ele obteve alta nós conseguimos a prisão preventiva dele. Ele se encontra no presídio Floramar e as investigações estão em andamento justamente para tentar chegar até o dono, para quem seria entregue essa droga. Inicialmente a gente sabe que ela veio de Foz do Iguaçu e seria entregue ali na região metropolitana de Belo Horizonte. Demais detalhes a gente vai descobrir no decorrer das investigações” concluiu.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.