terça-feira, 23 de Agosto de 2016 16:08h Carina Lelles

Polícia investiga falso “toque de recolher” em Divinópolis

Mensagem enviada via Whatsapp para várias pessoas e grupos no aplicativo gerou medo na população

POR CARINA LELLES

carina.lelles@gazetaoeste.com.br

 

Um falso alerta de “toque de recolher” foi divulgado nas redes sociais na manhã de ontem em Divinópolis. A mensagem alertava sobre uma lista de pessoas que seriam mortas no bairro Niterói por criminosos dos bairros Quintino e Porto Velho.

Em questão de minutos, a rede já estava tomada pela mensagem, alertando para as pessoas se recolherem por volta do meio dia de ontem, alegando que haveria tiroteio no bairro Niterói. Imediatamente, ao tomar ciência dos fatos, a Polícia Militar enviou comunicado à imprensa, informando que estava verificando a procedência da mensagem. “A Polícia Militar não admitirá qualquer perturbação da ordem pública e reprimirá fortemente aqueles que, de qualquer forma, atentem contra a sociedade divinopolitana. Os responsáveis sendo identificados, serão presos e encaminhados à justiça. As operações serão aumentadas para garantir essa tranquilidade de toda a comunidade”, informava.

No início da tarde, outro comunicado foi enviado sobre o fato, “circula nas redes sociais em Divinópolis uma mensagem virtual em que uma pessoa faz ameaças com ‘toque de recolher’. A PM tomou conhecimento e, através do serviço de inteligência, confirmou que foram mensagens postadas sem qualquer fundamento e postadas ainda de forma totalmente irresponsável nas redes sociais”.

A nota ainda ressaltava que “o serviço de inteligência da PM já está trabalhando para identificar os autores da mensagem e os responsáveis, sendo identificados, serão presos e encaminhados à justiça”.

Com a identificação dos suspeitos, eles poderão responder por incitação ou apologia ao crime, comunicação falsa de crime e constrangimento ilegal. “A Polícia Militar mantém seu compromisso de garantir a segurança pública dos cidadãos e está tomando várias providências para aumentar a sensação de segurança da população”, finaliza a nota.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.