quinta-feira, 6 de Setembro de 2012 10:05h Gazeta do Oeste

Polícia investiga origem de tiro que matou mulher no Rio

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga se a bala que matou a dona de casa Cláudia Lago, de 33 anos, durante uma perseguição na tarde de terça-feira, na capital fluminense, partiu da arma de um policial militar ou do criminoso que a fez refém. Cláudia foi baleada dentro do Posto de Atendimento Médico (PAM) Coelho Neto, na zona norte, quando era feita de escudo humano por um bandido em fuga que invadiu a unidade. Ela passou por cirurgia para a retirada do projétil no Hospital Estadual Carlos Chagas, mas não resistiu ao procedimento. A bala atravessou seu abdômen e saiu pelos glúteos.

 

 

De acordo com o delegado Marcus Neves, titular da 40º DP (Honório Gurgel), o caso está sendo investigado. Segundo ele, ainda não há definição de onde partiu o disparo, o que será confirmado pelos laudos da perícia. A assessoria de imprensa foi consultada pela reportagem às 14h e ainda não se manifestou.

 

A coordenação do PAM de Coelho Neto informou em nota que a unidade permanecerá fechada nesta quarta-feira, para a realização de perícia da Polícia Civil. As consultas agendadas serão remarcadas por telefone. A secretaria orienta que os pacientes que não forem contatados procurem a unidade para saber a nova data, na quinta-feira ou a partir de segunda.

 

 

 

 

 

 

 

EM

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.