quarta-feira, 15 de Maio de 2013 05:42h Erik Ullysses

Polícia Militar apreende quase três quilos de drogas no bairro Catalão

Entre os entorpecentes apreendidos no pontilhão do bairro Catalão estavam maconha e crack. Foram presos ainda cinco homens suspeitos de envolvimento com o tráfico.

No final da tarde de ontem o tráfico de drogas de Divinópolis foi mais uma vez combatido na cidade. No bairro Catalão a Polícia Militar apreendeu quase três quilos de entorpecentes, próximo a trilha do trem que corta o bairro. Além do material apreendido, foram presos cinco homens que estavam no local traficando drogas.

Segundo o capitão Alexander Oliveira, foram apreendidos cerca de um quilo e meio de maconha, um quilo de crack, bem como outras oito pedras da mesma substância. Também foram encontradas com os suspeitos três balanças de precisão e binóculos que são utilizados para monitorar a chegada dos policiais, além de outros materiais. “Nós recebemos várias denúncias, através do Disque Denúncia que estava ocorrendo um intenso tráfico de drogas.

Quando chegamos nós percebemos que eles estavam reunidos comercializando drogas e planejamos a abordagem. Chegamos com várias equipes em diversos pontos, eles tentaram correr, nós os abordamos e durante as buscas no local em que eles estavam comercializando as drogas foi encontrado os entorpecentes” explicou.

O capitão ressaltou ainda que as drogas foram encontradas por Tor, um novo cão farejador da equipe ‘Roca’. “Nós estamos contando agora com uma forma mais efetiva da ‘Roca’, que são os cães de faro, cães de busca. Então o Tor, o cão de faro, localizou as drogas em meio ao matagal” disse.

No local foram presos Felipe Henrique Silva Resende, de 36 anos, para o qual constava ainda um mandado de prisão por roubo a mão armada, Daniel Henrique da Silva, de 26 anos, Fabrício Fernandes de Oliveira, de 23 anos, Alisson Vilela da Fonseca, de 34 anos e Renildo Renê da Silva, de 32 anos, apontado como o chefe do tráfico na região. Os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil.

O capitão Alexander contou que o local é um ponto já conhecido pela prática de tráfico e alertou para a importância da população continuar denunciando os crimes que ocorrem. “São várias denúncias de tráfico neste local. O cidadão de bem tem colaborado, tem ligado no 190 e no 181. Nós frisamos que não é preciso se identificar no 181 (Disque Denúncia), então a colaboração do cidadão de bem é de suma importância para a nossa atividade” concluiu o capitão.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.