segunda-feira, 25 de Março de 2013 11:27h Erik Ullysses

Polícia Militar de Meio Ambiente, Copasa e IEF realizam ações no dia Mundial da Água

Durante a manhã foi feita uma blitz educativa próxima a ponte do bairro Niterói, com a distribuição de panfletos, água e mudas de plantas.

Ontem, dia 22 de março, foi comemorado o Dia Mundial da Água. Uma data para alertar a população sobre um dos bens mais importantes e essenciais para a sobrevivência humana. A Organização das Nações Unidas (ONU) escolheu o ano de 2013 como o “Ano Internacional de Cooperação da Água”, justamente para alertar sobre os problemas decorrentes de sua poluição e para apontar mecanismos que possam recuperar os mananciais e conscientizar a população sobre a importância de preservá-la. Assim, a Polícia Militar, através do 4° Pelotão Especial de Meio Ambiente, juntamente com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e a ARPA II, comemoraram a data através de ações que se estenderam ao longo do dia.

Durante a manhã foi realizada uma blitz educativa próximo à ponte do bairro Niterói. Na ocasião foram distribuídos folders e panfletos que falavam sobre a importância da água e de sua preservação, além de dar dicas de como preservá-la. Também foram distribuídas mudas de árvores para serem plantadas pela população. O cabo André Souza disse que o principal objetivo da blitz é a conscientização da população sobre o uso correto da água. “Hoje, por se tratar do Dia Mundial da Água, a Polícia Militar de Meio Ambiente junto com outros parceiros, a Copasa e o IEF, desenvolveram essa blitz educativa aqui para chamar a atenção da população para que haja um bom uso da água, um uso correto desta. Então nos estamos levando algumas informações para o pessoal. Estamos distribuindo folders, água potável, por saber o tanto que é importante uma água limpa, e também algumas mudas para o pessoal poder plantar em beiras de córregos ou em casa mesmo, porque isso facilita também o processo da água” afirmou.

Cabo André falou ainda sobre os esforços que são feitos a nível mundial para buscar soluções viáveis no que se refere à preservação das águas. Ele destacou também a importância de cada um fazer a sua parte. “Todos os países estão buscando alguma forma de tentar levar essa informação para a população. A importância disso tudo é realmente conscientizar cada cidadão a fazer a sua parte. Nós da Polícia Militar estamos fazendo a nossa, além de fiscalizadores no campo e na cidade, nós estamos conscientizando a sociedade. Então é levar essa mensagem para a população, para que eles consigam fazer a parte deles também. Porque é só assim que vamos ter um futuro melhor, cada um fazendo a sua parte” exclamou.

Jussara Manata, analista de programas comunitários da Copasa, disse que o maior problema enfrentado pela companhia de saneamento em Divinópolis é o óleo despejado pela população nas redes de esgoto. Dessa forma, o foco principal das ações de ontem (22) estavam voltados para este problema. “O principal problema que enfrentamos aqui em Divinópolis é o óleo que é despejado nas redes de esgoto. Então nós estamos tentando conscientizar a população de que o óleo pode ser reciclado. Você não precisa jogar o óleo na rede de esgoto, porque da rede de esgoto vai direto para o rio e isso contamina os mananciais. O foco nosso hoje aqui é o óleo nas redes de esgoto. Quando não entopem as redes eles vão direto para os rios. E a cada litro de óleo despejado no rio este contamina cerca de 20 mil litros da água” garantiu. Ela disse que óleo despejado nos rios torna ainda mais caro o processo de tratamento da água que vai para a casa de cada um e definiu este fato como um “tiro no próprio pé”.

No período da tarde foram ministradas palestras sobre o tema para crianças da Escola Estadual São Francisco de Assis, no bairro Sidil. O objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise e medidas práticas para a preservação da qualidade da água, além de mobilizarem os alunos a serem multiplicadores da defesa do Meio Ambiente.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.