quinta-feira, 11 de Junho de 2015 10:58h Atualizado em 11 de Junho de 2015 às 11:01h. Pollyanna Martins

Polícia Militar realiza operação e detém 62 usuários de drogas na Praça Candidés

O local conhecido como “Carrapateiro” foi alvo da Operação Policial Integrada Fênix

A Polícia Militar (PM) realizou na manhã de ontem a Operação Integrada Fênix, na Praça Candidés em Divinópolis, local conhecido como “Carrapateiro”. A ação, que foi realizada em conjunto com a Polícia Civil, o Corpo de Bombeiros, o Ministério Público e a Prefeitura de Divinópolis, deteve 62 usuários de drogas, que moram na praça ou o usam para se drogarem e cometerem delitos. Cerca de 70 oficiais da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros participaram da operação, que começou a ser planejada há cerca de dois meses.
Os usuários detidos foram encaminhados para o Poliesportivo do bairro Niterói para a realização de uma triagem e receber atendimento médico. Segundo o comandante da 7ª Região, coronel Laércio Reis, o objetivo da ação é resolver o problema da marginalidade social. O coronel destacou que apesar de os usuários terem sido detidos, eles não são criminosos, uma vez que necessitam de tratamento e acompanhamento de assistência social. “Nós estamos tratando essas pessoas como pessoas que necessitam de ajuda e de assistência social”, frisa. Ainda de acordo com o comandante, o trabalho será contínuo para que o problema não seja reinstalado, e a averiguação do resultado da operação será feita por meio de avaliações periódicas. “Em um primeiro momento, as avaliações serão semanais, depois quinzenais, e por fim uma vez por mês”, informa.

 

CORPO DE BOMBEIROS
O Corpo de Bombeiros disponibilizou unidades de Resgate para atendimento e um barco, para o caso de algum usuário entrar no Rio Itapecerica.  Durante a operação, apenas um usuário de drogas resistiu à abordagem e se feriu ao cair em uma construção próximo à praça durante a fuga. O jovem, que estava muito debilitado, foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA 24h). “Nós mantivemos um barco em toda a operação com a guarnição equipada para que, se por ventura alguém resistisse à abordagem e entrasse no rio, a gente já estaria em condição de realizar este salvamento. Apenas um cidadão foi conduzido para a UPA, porque resistiu à abordagem. Nenhuma fratura foi constatada, porém ele está muito fraco”, relatou o major Manoel dos Reis Moraes.

 

POLÍCIA CIVIL
A Polícia Civil realizou durante a operação uma investigação criminal. De acordo com o delegado Marco Antônio Noronha, após a condução dos usuários de drogas para o Poliesportivo, uma averiguação criminal foi feita para a verificação de mandados de prisão em aberto. “Durante a operação, foram localizadas duas bicicletas, provavelmente roubadas, e uma faca grande que estava com um usuário, e surge a suspeita porque ocorreram roubos nessa região em que uma faca semelhante a esta foi utilizada. Nós também estamos monitorando já há alguns dias aqui, no sentido de tentar identificar e efetuar a prisão dos traficantes que estão atuando nesta região”, detalha.

 

MINISTÉRIO PÚBLICO
Entre os usuários detidos, uma era menor. O promotor da Vara da Infância e da Juventude, Casé Fortes, informou que a adolescente foi encaminhada pelo Conselho Tutelar para receber atendimento. “O trabalho do Ministério Público é principalmente dar continuidade às ações que são feitas aqui em vários ramos. Naquilo que for necessário de tratamento para os maiores de idade e também para os menores”, salienta.

 

BALANÇO
No fim da tarde, os órgãos que planejaram a ação divulgaram o balanço em uma coletiva de imprensa. De acordo com os números apresentados, 62 pessoas foram abordadas pelas equipes, sendo que 21 são de outras cidades, e, dessas, quatro foram encaminhadas às suas cidades de origem.  Sete pessoas foram para o Centro de Acolhimento da Prefeitura. Dos 62 abordados, 19 foram encaminhados para o recém-criado Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps-Ad). Três foram direcionadas para as unidades terapêuticas e uma foi para Centro de Atenção Psicossocial (Caps III). Ainda de acordo com resultado, duas pessoas foram presas: uma por tráfico e outra era procurada pela Justiça.
O prefeito, Vladimir Azevedo, destacou o esforço do município e das forças de segurança da cidade para encaminhar as pessoas abordadas ao tratamento adequado. “Foi um resultado social importante para aquelas pessoas e para a comunidade na questão da segurança pública. Agora, vamos tentar não deixar pulverizar para outros lugares. Vamos nos manter em alerta, porque não é em um dia que essa operação se encerra e sim é um trabalho permanente”, afirma.

 

OPERAÇÕES FUTURAS
O coronel Laércio Reis informou que a operação será realizada em outros pontos da cidade, porém não revelou quais. Conforme o comandante, os criminosos presos nas operações serão encaminhados para o judiciário, mesmo com a superlotação do Presídio Floramar. “No caso de crimes graves como tráfico de drogas, ou quaisquer que sejam as situações nós vamos fazer o encaminhamento, o que não vai deixar de acontecer é a resposta do poder público”, garante.

 

 

Crédito: Pollyanna Martins

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.