segunda-feira, 25 de Maio de 2015 11:26h

Polícia Mineira cria programa de economia água e energia nos batalhões

A campanha “Nos 30%, cada PM conta” mobiliza os militares de todo estado para atuarem como multiplicadores do uso sustentável da água e energia elétrica

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), em parceria com a Copasa, criou o programa Mobilização para a Segurança Hídrica “Nos 30%, cada PM conta” A ação começou em abril e tem como objetivo incentivar e promover atividades educativas para o uso sustentável da água e da energia elétrica. A mobilização dentro da PM ganhou força em janeiro, depois que o Governo publicou resolução na qual todos os órgãos estaduais deveriam economizar 30% de água.
Por isso, o departamento de comunicação da PMMG elaborou um projeto com as diretrizes econômicas e sugestões de ações para a moderação do uso de luz e água.  Os comandantes responsáveis por cada batalhão foram incumbidos de pensar formas criativas de economia, bem como criar estratégias para adesão dos colegas. E as primeiras ideias já estão em prática.
No Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTRAN), em Belo Horizonte, pequenas reformas já mudaram o clima entre os policiais. O subcomandante do BPTRAN, major Paulo Pereira, disse que o desperdício, que já era pequeno, ficou ainda menor. Serão colocadas oito torneiras temporizadas, 26 sensores de iluminação nos vestiários e banheiros e os chuveiros passaram por manutenção para evitar vazamentos. Além disso, as viaturas, que antes eram lavadas com mangueiras, agora são limpas com baldes, para melhor controle do gasto. As válvulas das descargas serão trocadas e sensores de luz serão instalados também do lado externo ainda neste semestre.
Segundo o major Pereira, desde o início do programa, a corporação se reúne quinzenalmente para discutir o assunto e levá-lo para fora do batalhão. Além disso, ele afirma ter investido de maneira relevante nas adaptações e espera recuperar o investimento.  “Até agora gastamos em média mais de R$ 2 mil nessas iniciativas, e pretendemos recuperar esse investimento nas contas de água e energia nos próximosseis meses. Nossa corporação tem consciência de que essa mudança é para evitar transtornos futuros no batalhão e na sociedade, prejudicando nossas famílias.” disse.Alguns policiais do BPTRAN levaram a ideia do programa para dentro de casa. Foi o que aconteceu com o tenente Gil César de Paula e o sargento Roque da Silva.
O tenente Gil e sua família reduziram a lavagem do carro, o tempo no banho e reaproveitaram a água da máquina de lavar roupa para pequenas limpezas. “Fizemos os ajustes para economizar. O resultado virá aos poucos”, diz.
O sargento Roque ficou animado com a chance de gastar menos dinheiro e recursos naturais. Ele criou um projeto para armazenar água da chuva em casa O investimento foi de cerca de R$ 900. Roque afirma já a conta de água já caiu. “Eu gastava cerca de R$ 300mensais com água. Desde que implantei o sistema, o valor veio pela metade. O resultado foi excelente”, comenta.
O Colégio Tiradentes da Polícia Militar também aderiu à proposta. Eles criaram um mascote, o “Aluno Pingo”, e agora os próprios alunos planejam as maneiras de reduzir os gastos. Dentro da sala, discussão dos temas de maneira divertida: concursos de melhor história em quadrinhos, pinturas e redação inspirados no mascote. Os alunos vencedores receberão uma premiação surpresa. E a classe de cada ganhador fará uma visita a empresas que trabalham a economia de água e energia, ou a parques que fazem a preservação de nascentes.
Para a chefe da seção estratégica de marketing (EMPM 5),tenente coronel Simone Santos, o mais importante é que programa Mobilização para a Segurança Hídrica  refletirá nos batalhões, mas ganhará força na comunidade. “Nossos ajustes de infraestrutura são necessários, mas o nosso maior investimento é no policial. Queremos que ele incorpore mudanças de hábitos  no seu dia a dia e seja multiplicador dessa ideia junto à população”, comenta.

Sobre o projeto
O projeto tem quatro fases: sensibilizar, convocar, compartilhar/executar e avaliar/monitorar.  A fase de convocação já foi feita e agora os batalhões estão na fase de implementação das ações e compartilhamento  das experiências.  Os batalhões que conseguirem chegar à meta de economia de 30% de água serão recompensados e as boas práticas serão amplamente  divulgadas na corporação.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.