quinta-feira, 12 de Abril de 2012 13:24h Vinicius Soares

Polícia prende homem suspeito de explodir caixas eletrônicos em Pará de Minas

Com o suspeito foram encontradas três bananas de dinamite, os dispositivos estavam em uma mochila no quarto de um jovem de 17 anos

Uma mochila com três bananas de dinamite e cem detonadores foi encontrada na noite de anteontem (10), no Bairro Santa Edwiges, na rua Vicente Leite Freitas, na cidade de Pará de Minas.
De acordo com a Polícia Militar, os pais de um adolescente de 17 anos fizeram a denúncia ao encontrar o material dentro do quarto do menor.
Ainda segundo a PM, os pais pediram explicação sobre os explosivos, mas o menor se recusou a falar, pegou a mochila e fugiu. Em rastreamento, os militares encontraram a mochila em um muro no Bairro Dom Bosco.
Após confirmar que a mãe havia notificado a polícia, o infrator evadiu do local e escondeu a mochila atrás do muro da subestação da Cemig. Diante da gravidade da ocorrência, o Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) de Belo Horizonte, foi acionado
Os explosivos estavam acondicionados num tubo de aço de 70cm que ficavam inseridos dentro de pinos de aço com aproximadamente 40cm cada um.
Após encontrar o material, a perita Letícia Alves, os encaminhou para o Esquadrão Anti-bombas do GATE, para que a detonação fosse procedida sem inferir perigo para os moradores locais.
O Sargento Clésio, responsável pela notificação do B.O, relatou a ocorrência e passou maiores informações. “A mãe do suspeito, ao fazer a limpeza do quarto dele, debaixo da sua cama, encontrou uma mochila e se assustou com o peso e o barulho dos conteúdos. Ao abrir, ela ficou assustada e nos acionou. Encontramos os explosivos atrás de um muro da subestação da Cemig. Agora, trabalhamos com duas hipóteses: Que ele estava guardando-os para alguém ou que esteja envolvido em algum tipo de crime organizado.”
Sargento Cláudio, do GATE falou sobre a chamada de solicitação e da apreensão do material. “Recebemos uma chamada da polícia local nos informando sobre a coleta de materiais de alta periculosidade. O esquadrão antibombas entrou em ação e realmente comprovou a existência de três dinamites em recipientes metálicos. Uma das bombas teve que ser destruída no local, por oferecer riscos ao ser transportada. Os demais foram levados para análise. Eram produtos típicos de mineradoras, com fins para explosão rochosa. Esses artefatos têm sido muito usado para roubo de caixas eletrônicos na região”.
A Polícia Militar mantêm as investigações já que este crime tem sido reincidente em cidades vizinhas. O último crime desta natureza foi registrado no município de São Gonçalo do Pará no mês de março.

Colaboração Anderson Henrique
 

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.