quinta-feira, 5 de Julho de 2012 12:38h Camila Caetano

Posto de Saúde é arrombado três vezes em um mês

Diversos arrombamentos com furtos ocorrem na Avenida Primeiro de Junho com a Pernambuco, por ficar próximo ao viaduto Francisco Machado Gontijo, local utilizado por vários usuários de drogas.

Diversos arrombamentos com furtos ocorrem na Avenida Primeiro de Junho com a Pernambuco, por ficar próximo ao viaduto Francisco Machado Gontijo, local utilizado por vários usuários de drogas. O último a acontecer foi ao Posto de Saúde, na madrugada desta terça-feira (3), sendo que este já é o terceiro em menos de um mês. “Dessa vez adentraram no consultório odontológico e tentaram entrar no posto também, só não conseguiram por conta do reforço que tínhamos feito devido ao último assalto”, afirma Cleverson Humberto, Gerente da Unidade de Saúde.

 


Segundo o Gerente em todos os furtos a Polícia Militar foi acionada, Cleverson ainda relata que a ação dos policiais foi rápida, além do apoio que recebeu da Polícia Civil, que mandou dois agentes para a investigação e perícia no local. “Um maior patrulhamento da Polícia Militar também já foi solicitado, mas a gente sabe que assim como a Polícia vigia os marginais, esses também ficam de olho nos passos dos policiais, então, eles aproveitam as oportunidades para realizarem os roubos. A Polícia faz o trabalho dela, mas só que os marginais também são demais”, complementa o Gerente da Unidade.

 

Todo final de semana é feita uma ronda no Posto, já que seria o período mais propício para os furtos, mas Cleverson diz que agora será preciso colocar vigilantes diariamente. O Gerente da Unidade também comenta que o maior prejuízo desses arrombamentos nem são em relação aos danos materiais, mas à perda dos prontuários, assim, os infratores ainda comentem o vandalismo de destruírem toda a ficha dos pacientes. “Hoje a prioridade da Unidade de Saúde é preservar o bem maior, que são os materiais que pertencem aos pacientes, é a história de vida deles que está aqui dentro. Isso é muito importante e não podemos perder”, afirma Cleverson.

 

O Gerente da Unidade ressalta que nesta quarta-feira o Posto de Saúde não pôde funcionar, por conta da perícia, e pela necessidade de colocar os materiais em ordem, “não é justo em hipótese alguma pacientes ficarem sem atendimento por causa de marginais, mas a sociedade também tem que entender que enquanto não houver uma denúncia, uma ação de todos para proteger o que é nosso também não resolve”.

 

Lembrando que esses arrombamentos e furtos ocorrem em toda essa região, na madrugada desse sábado (30) uma creche que funciona próximo ao Posto também foi danificada, o que causa certo pânico aos proprietários. “A gente está numa insegurança total, porque sabemos que a Polícia não consegue prender em flagrante, porque eles agem de madrugada, assim, não conseguimos denunciar a tempo, mas a gente quer uma fiscalização, uma ronda da Polícia, a gente quer que a Polícia os intimide, para que não continue nos assaltando”, declara uma das sócias da Sede da Criança, Juliana Penha. Outros também aconteceram nessa semana, como em uma Clínica médica, na segunda-feira (2), além de outros neste ano, duas vezes em uma lanchonete e quatro numa loja de roupas.

 


O Capitão Leônidas afirma que a Polícia Militar realiza o seu trabalho, fazendo operações no local, como o patrulhamento da região, e solicita o envolvimento da comunidade, a atenção dos vizinhos para acioná-los assim que ouvirem algum barulho ou perceberem atitudes suspeitas. Além disso, é necessário frisar a presença da 53ª Companhia, responsável pelo policiamento na área central da cidade e de todos os bairros que ficam à margem esquerda do Rio Itapecerica, localizada na Rua Pernambuco, deste modo, o Capitão Leônidas diz que qualquer informação da população sobre essa região é para ser repassada a esta Companhia, para evitar que mais crimes ocorram.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.