quarta-feira, 30 de Setembro de 2015 10:17h Atualizado em 30 de Setembro de 2015 às 10:21h. Jotha Lee

Prefeitura confirma invasão do Cadastro de beneficiários de programas federais

Polícia Federal procura hacker que invadiu sistema do município

A Polícia Federal já está investigando a invasão do Cadastro Único dos Programas Sociais (CadÚnico) da Prefeitura de Divinópolis. A informação foi dada pelo vereador Marcos Vinicius Alves da Silva (PSC), que na semana passada encontrou-se com o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Paulo Sérgio dos Prazeres, titular da pasta que responde pelos programas sociais do governo federal implantados em Divinópolis e cujos beneficiários estão inscritos através do CadÚnico.
O vereador já enviou ofício ao prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) solicitando informações detalhadas de como ocorreu a invasão, porém adianta que houve “utilização desautorizada” do CadÚnico. Segundo o vereador, pessoas não autorizadas tiveram acesso ao sistema, conforme lhe foi relatado pelo próprio secretário Paulo dos Prazeres. “Isso é muito preocupante”, resumiu o parlamentar.
O CadÚnico é uma base de dados com informações sobre as famílias brasileiras e principal ferramenta para construção de políticas públicas voltadas à redução da pobreza e das desigualdades no Brasil. Atualmente o cadastro é referência para 18 programas e ações da União voltados à população de baixa renda. O número de famílias inscritas corresponde a 82,4 milhões de pessoas, ou seja, mais de 40% da população brasileira. O público prioritário do Cadastro Único é formado por famílias que recebem, por mês, até R$ 140 por pessoa, a maioria atendida pelo Programa Bolsa Família.
Para se inscrever no Cadastro, a pessoa deve procurar a prefeitura ou o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) mais próximo. É necessário ter uma pessoa responsável para responder às perguntas do cadastro. Ela deve fazer parte da família, morar na mesma casa, ter pelo menos 16 anos e apresentar CPF ou Título de Eleitor.

 

 

DIVINÓPOLIS
Em Divinópolis, 18 mil pessoas estão inscritas no CadÚnico. Para o vereador Marcos Vinicius, esse alto contingente torna ainda mais preocupante a invasão do sistema. “São 18 mil inscritos com toda uma radiografia social, renda per capta, pessoas que compõem aquela entidade familiar, telefone, endereço, a situação de vulnerabilidade social, enfim é um cadastro pormenorizado. É ma radiografia exata da situação social”, explica.
De acordo com informações oficiais, a invasão ao sistema foi feita fora do ambiente da Prefeitura. “Se essa pessoa fez assim, ela poderia manipular as informações e por conta disso cometer uma fraude até nos programas federais que são praticados aqui na cidade, como o Bolsa Família, por exemplo”, pondera Marcos Vinicius.
Pelo que se apurou até agora, chegar até o hacker responsável pela invasão é questão de tempo. Além de saber que o acesso foi feito fora da Prefeitura, também já foi identificado o Internet Protocol (IP), o endereço do computador. A Polícia Federal já conversou com o secretário Paulo dos Prazeres, porém ainda não há informações sobre o andamento da investigação. Ontem o delegado Daniel Sousa, titular da Polícia Federal em Divinópolis e único autorizado a falar sobre o assunto, não se encontrava na cidade.
Através de nota enviada ao Jornal Gazeta do Oeste, a Diretoria de Comunicação da Prefeitura confirmou que foi instaurada uma sindicância interna para apurar a invasão. Ainda segundo a nota, “a investigação é sigilosa e nenhuma informação pode ser divulgada”.
O vereador Marcos Vinícius, que já fez a denúncia publicamente, afirma temer que os dados do CadÚnico possam ser utilizados criminosamente. “O que eu quero saber é se outras pessoas também tiveram esse acesso. Quem invadiu o programa pode ter esses dados copiados para utilizar de forma desautorizada com interesses eleitorais, politiqueiros ou até mesmo para chantagem. Não se trata de denuncismo, nem de sensacionalismo. É algo sério, que precisa ser apurado”, finaliza.

 

 

Crédito: Liziane Ricardo
Crédito: Arquivo/GO

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.