sexta-feira, 5 de Fevereiro de 2016 12:05h

Preso suspeito de assassinar mulher indignada com a morte do filho

A revolta de uma mãe diante da morte do filho está sendo apontada pela Polícia Civil como motivação para o homicídio de Geovanna Maria Ferreira, de 42. Investigações apontam Walaf Barbosa Santos (Gordinho ou Coroa), de 22 anos, como um dos responsáveis pe

A mulher foi assassinada no dia 18 de novembro do ano passado, no bairro Átila de Paiva, região do Barreiro.

De acordo com levantamentos, Geovanna foi morta por enfrentar Walaf, suspeito de participar do homicídio de Richard Ferreira Rocha, de 21 anos, filho da vítima. A mulher, que era dona de casa, não tinha histórico criminal. Filipe Hernandes Souza Santos, de 18 anos, assassinado no dia 18 de janeiro deste ano, também teria participação no homicídio de Geovanna. A polícia acredita que a morte de Filipe esteja relacionada ao tráfico de drogas.

Sucessão de crimes

Conforme apurado pela polícia, em 2013, Richard também teria sido vítima de homicídio, sendo Walaf o principal suspeito. O crime aconteceu após um desentendimento entre os dois.

Walaf e Richard pertenciam a uma mesma quadrilha e teriam iniciado o conflito após a polícia ter apreendido o carro que estava em poder de Richard. Como o automóvel era utilizado pelo grupo criminoso, Walaf propôs que Richard roubasse outro veículo, a fim de repor o que havia sido apreendido. Richard se negou a participar da ação e acabou sendo morto.

Diante do fato, sabendo que Walaf havia executado o seu filho, Geovanna passou a dizer para todos que iria entregá-lo à Polícia. Testemunhas relatam que, indignada com o crime, a mulher começou a enfrentar Walaf encarando-o quando passava por ele.

No dia do crime, a vítima estava no portão da casa de uma amiga quando Filipe e Walaf se aproximaram. Walaf sacou a arma e atirou contra Geovanna, se afastando somente depois de ter certeza que a vítima estava morta. A dupla andou alguns metros e, em determinado ponto, Walaf entregou a arma para Filipe, que seguiu em sentido contrário ao do parceiro. Depois do crime, os suspeitos passaram a ameaçar a família da vítima.

Walaf tem registros na polícia por porte ilegal de arma de fogo, uso e tráfico de droga. Em virtude da morte de Geovanna, ele irá responder por homicídio duplamente qualificado, com recurso que dificultou a defesa da vítima e para ocultar outro crime.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.