sábado, 28 de Julho de 2012 08:44h Gazeta do Oeste

PRF pede reforço em SP para acompanhar negociações com caminhoneiros

 A Polícia Rodoviária Federal (PRF) pediu nesta sexta-feira (27) reforço em São Paulo para acompanhar operação nas rodovias mineiras durante as negociações com caminhoneiros, que fazem manifestação há três dias. Mais cedo, um helicóptero, vindo de Brasília, foi usado para monitorar a situação das estradas. A ideia é convocar policiais de folga, de licença, dos setores administrativos e até voluntários para reforçar o trabalho.

 

 

Em greve há três dias, os caminhoneiros continuam os protestos em rodovias que cortam Minas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, desde a madrugada desta sexta-feira (27), vários pontos da BR-381 estão fechados e os motoristas presos em um enorme congestionamento, que chega a mais de 14 quilômetros. Dois manifestantes foram detidos por usar barras de ferro para coagir os colegas.

 

Nesta tarde de sexta-feira (27), alguns trechos foram liberados, no entanto, o tráfego ainda era muito lento. Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as pistas foram liberadas na MG-50, em Itaúna; na BR-040, sentido Rio de Janeiro, em Nova Lima; BR-381, sentido Belo Horizonte, com duas faixas liberadas em Carmópolis de Minas e duas pistas livres na altura de Itatiaiuçu, no sentido São Paulo.

 

Já de acordo com a PRF, em Governador Valadares, km 406 da BR-116, o trânsito ocorre somente pela esquerda. O mesmo acontece em Igarapé, km 513 da BR-381, no sentido São Paulo. No local, o tráfego é bastante lento e não há previsão de liberação. A situação se repete em Santo Antônio do Amparo, km 649, sentido BH. Ainda na BR-381, em São Joaquim de Bicas, o congestionamento já chega a 14 quilômetros.


Por volta das 18h30, uma manifestação interditou outro ponto da BR-381. Em Bom Jesus do Amparo, na altura do km 399, na saída para Vitória, os caminhoneiros fecharam os dois sentidos e apenas carros e ônibus estavam autorizados a furar o bloqueio.

 

A greve

 

A paralisação dos caminhoneiros acontece em todo o Brasil. Na quarta-feira (25), o Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC) informou que a categoria cruzou os braços por não ter recebido resposta da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) sobre as reivindicações.

 

Os caminhoneiros reivindicam o aumento do valor do frete, a redução dos preços do óleo diesel e dos pedágios. Além disso, a categoria quer a redução de 35 para 25 anos de trabalho para ter direito a aposentadoria, fim do cartão de frete, não receber pagamento em vale e ter programas de saúde para a categoria. Os motoristas também pedem pontos de apoio nas rodovias para que possam parar e cumprir a jornada de descanso.

 

 

Repúdio

 


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou nesta sexta-feira (27) uma nota sobre a greve dos caminhoneiros, que tem complicado o trânsito em diversas estradas que cortam Minas. "A Polícia Rodoviária Federal deixa claro o seu respeito aos movimentos sindicais e as manifestações pautadas na legalidade e amparadas pelo artigo 5º da Constituição Federal, desde que sejam estas pacificas, ordeiras e que respeitem os direitos constitucionais do demais indivíduos", afirma o órgão.

 


Novas paralisações

 

 

Na noite desta sexta-feira (27), segundo a PRF, os caminhoneiros fizeram paralisações na BR-381, km 399, na cidade de Bom Jesus do Amparo, Região Central, onde houve interdição parcial nos dois sentidos da via, podendo transitar apenas ônibus e carros.

 

Também na BR-381, km 562,no município de Itaguara, Região Centro-Oeste, a pista ficou totalmente paralisada no sentido Belo Horizonte - São Paulo, local em que os manifestantes queimaram pneus em sinal de protesto.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.