quinta-feira, 12 de Maio de 2011 13:13h Marciel Muniz

Projeto de vagas de trabalho para presidiários ganha inovação em Divinópolis

Objetivo do projeto é incluir também a família do presidiário no mercado de trabalho

O diretor da unidade Prisional Floramar, Zuley Jacinto de Souza apresentou à Associação Comunitária para Assuntos de Segurança Pública (Acasp) o projeto para ampliação das vagas de trabalho para os presidiários em condições de exercerem seus direitos e falou das condições em que se encontra a unidade prisional.

 

O objetivo deste projeto é colocar no mercado de trabalho o maior número de vagas possíveis, contribuindo para a reabilitação dos presidiários na sociedade durante o cumprimento de sua pena.

 

Em Divinópolis a unidade prisional Floramar tem vários presos inclusos em projetos voltados para a reabilitação dos presidiários, na unidade funcionam projetos internos como cursos de corte e costura e pequenas oficinas.



Segundo o diretor geral do presídio Floramar Zuley Jacinto de Souza a situação do presídio se encontra dentro da normalidade encontrada na grande maioria das unidades do estado de Minas Gerais. O diretor ressalta a importância do projeto, que é uma forma de investimento no presidiário, que no cumprimento da pena poderá por em prática o que foi aprendido. “O que é inovador nesse projeto é o fato da tentativa de busca e união da família do presidiário, promovendo a oportunidade de emprego para o presidiário e seus familiares. Até porque muitas vezes o preso procurou o cometimento de algum crime para o sustento da própria família” explica Zuley.

 

 

Projeto

 

O projeto visa garantir aos egressos do sistema carcerário e cumpridores de medidas e penas alternativas, pelo menos 5% da reserva de vagas na prestação de serviços para as obras ligadas a Copa do Mundo de 2014. A proposta de iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi criada a partir do programa “Começar de Novo”, criado em outubro de 2009.

 

 

A Associação Comunitária para Assuntos de Segurança Pública (Acasp) mostrou interesse no programa e fará reuniões especificas mensais com a Associação Comercial e Industrial de Divinópolis (Acid), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e empresários do Distrito Industrial em busca de empresas parceiras que apoiem o projeto.



As empresas obrigadas por lei, bem como as que aderirem de forma voluntária à ação, terão a certificação social expedida pela Secretaria de Estado de Trabalho, o que garantirá a estas empresas, preferência nas licitações estaduais em caso de empate.

 

Cartão Trabalhando a Cidadania

 

 

Como parte deste projeto no Estado, o governador Antonio Anastasia lança hoje às 11h, no Palácio Tiradentes, o programa Cartão Trabalhando a Cidadania. Inédito no país, o programa prevê a entrega de cartão magnético do Banco do Brasil a 1,5 mil presos do regime semiaberto que trabalham paralelamente ao cumprimento da pena nas unidades prisionais do Estado. A iniciativa integra as ações do Governo de Minas que visam à reinserção do preso na sociedade e à humanização do sistema prisional.
 

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.