sexta-feira, 7 de Agosto de 2015 11:05h Carina Lelles

Promotor nega “corpo mole” e afirma que confia plenamente no trabalho da Polícia Militar

Após ser publicado em um veículo de comunicação de Divinópolis que haveria uma crise instalada entre Ministério Público e Polícia Militar

Após ser publicado em um veículo de comunicação de Divinópolis que haveria uma crise instalada entre Ministério Público e Polícia Militar, alegando que o conflito seria por causa do “quem manda em quem” e que os militares estariam fazendo “corpo mole” em forma de retaliação, a reação das duas instituições foi imediata.
Logo após a publicação na mídia, o comando da 7ª região da Polícia Militar enviou nota negando a possível crise. A nota assinada pelo Coronel Laércio, explica que “não há qualquer crise instalada entre as instituições, não há qualquer tensão de “quem manda em quem”, mesmo porque, cada uma possui a sua missão, estrutura hierárquica e chefia muito bem definidas em lei constitucional”.
A nota ainda ressalta que “não há e podemos assegurar de que não haverá qualquer postura da tropa da Polícia Militar local que denote apatia ou “corpo mole” em retaliação à atuação do Ministério Público”.
Esta semana, o promotor de Justiça, Gilberto Osório, também negou haver crise. “A imprensa tem que ser responsável com aquilo que publica. As redes sociais e determinados setores da imprensa noticiaram uma crise que não existe e que nunca existiu, pelo contrário, há uma parceria cada vez maior entre o Ministério Público e a Polícia Militar. Prova disso é a nota brilhante emitida pelo comandante da 7ª RPM, Coronel Laércio, revelando que ao contrário do que foi dito nas redes sociais e por alguns setores da imprensa, cada dia que passa, a Polícia Militar está atuando mais. Temos uma Polícia espetacular, brilhante. A Polícia Militar de Minas Gerais posso dizer que é uma das melhores, senão a melhor do país, e infelizmente alguns setores da imprensa noticiaram uma crise inexistente. Trabalhamos em parceria, e assim vai continuar, porque somente através da parceria, que nós conseguimos bons resultados em favor da sociedade”.
O promotor ainda lembra que não existem novas regras. “Para quem diz que são novas as regras, eu vou lembrar que a lei de abuso de autoridade, por exemplo, ela é de 1965. A partir do momento em que há uma representação dando notícia de alguma ilegalidade praticada pela Polícia Militar, como de qualquer cidadão, cabe ao Ministério Público ou a Polícia Civil, que é a Polícia Judiciária, proceder as investigações para se chegar a uma verdade. Essa verdade pode ser contra os interesses do investigado ou a favor dos interesses do investigado, se for uma situação que não se comprove alguma ilegalidade, o procedimento é arquivado”.
Gilberto finaliza elogiando a Polícia Militar e afirmando que a instituição é uma das melhores do Brasil. “A Polícia Militar de Divinópolis, ao contrário do que foi propalado nas redes sociais, está cada vez mais atuante. Como bem disse o comandante Laércio em nota, a cada dia, a Polícia Militar tem mostrado mais trabalho e com mais eficiência. Eu confio plenamente no trabalho da Polícia Militar. As questões são tratadas isoladamente, porque a maioria avassaladora dos militares é gente séria, gente que cumpre sua missão, que cumpre o dever com responsabilidade e com apego à lei. A sociedade está vendo a Polícia Militar trabalhar cada dia mais, com operações intensas e assim vai continuar. Esse “corpo mole” que disseram não existe, porque a Polícia Militar está trabalhando cada vez mais para a segurança da nossa sociedade”.
Com a colaboração de Luciano Eurides

 

Crédito: Arquivo GO

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.