sexta-feira, 18 de Novembro de 2011 10:46h Paulo Reis

Quadrilha tentava fraudar exames no Ciretran

Os envolvidos estavam com carteiras de identidade de quatro candidatos à habilitação de Itaúna. A possibilidade da participação de autoescolas não está descartada das investigações e permanece a suspeita de mais pessoas estarem envolvidas na fraude

Uma quadrilha composta três homens residentes em Betim e um em Belo Horizonte foi desarticulada na manhã de ontem (17) durante prova de legislação no CIRETRAN de Divinópolis. A Polícia Civil já investigava essa atitude suspeita há algum tempo.


As provas de legislação são aplicadas na parte da manhã na sede do CIRETRAN em Divinópolis, que fica localizada na Praça do Mercado na área central do município.


Tudo deixava transparecer um dia comum de provas, mas não sob a ótica da Polícia Civil que já estava com os olhos atentos a possibilidade do golpe ser praticado na cidade.


Durante a aplicação da prova foi conferida a carteira de identidade dos candidatos à habilitação, ao perceber a presença de pessoas de outra cidade a situação reforçou a possibilidade da ação da quadrilha estar acontecendo em Divinópolis.


De acordo com o Delegado de Trânsito Leonardo Pio a quadrilha agia da seguinte maneira: indivíduos de outra cidade vinham à Divinópolis para prestar exames em nome de outra pessoa, de terceiros. Ao conferir o prontuário desses candidatos se confirmava a não residência dos mesmos no município, ou seja, uma pessoa vinha fazer a prova para outro indivíduo que tinha o prontuário transferido para Divinópolis, apenas sob a justificativa de realizar a avaliação. Nada que reforçasse a necessidade desta transferência era constatada, já que o correto é cada indivíduo que tenha a pretensão de adquirir a Carteira de Habilitação fazer os exames na cidade de origem.


Os indivíduos foram flagrados dentro da sala de avaliação portando carteiras de identidade falsas. O documento apresentava os dados dos candidatos verdadeiros e a diferença se registrava apenas na foto do articulador que vinha prestar o exame.


Os envolvidos foram ouvidos pelo delegado de trânsito durante toda a manhã da última quinta-feira (17), em seguida autuados em flagrante e vão responder por uso de documento falso, falsidade ideológica, formação de quadrilha e foram encaminhados ao Presídio Floramar.


Ainda de acordo com o delegado as investigações continuarão, pois durante depoimento de um dos envolvidos foi citado a presença de um agenciador, uma pessoa que os contratava, e que pagava cerca de R$ 300,00 para virem a Divinópolis e prestar o exame.


Leonardo Pio não descartou também a participação de autoescolas no esquema para aquisição destas habilitações já que a marcação das avaliações acontece por intermédio delas ou da própria delegacia regional.


Dos infratores apenas um possui registro policial, por violência doméstica, enfim nada relacionado ao crime configurado na manhã desta quinta-feira. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.