quinta-feira, 17 de Outubro de 2013 06:18h Luiz Felipe Enes

Reconstituição de latrocínio

Polícia Civil e principal suspeito de matar idosos reconstroem assassinato na cena do crime

Foi realizada em Dores do Indaiá, a reconstituição do assassinato de dois idosos, mortos no dia nove de outubro, com golpes de faca e também pedradas, por um homem, que pretendia assaltar o sítio. As vítimas estavam dentro de uma piscina vazia e foram encontradas pelo irmão do idoso, aparentemente sem sinais de vida.
Uma perícia realizada nos corpos comprovou que as vítimas morreram em virtude de traumatismo craniano. Durante os trabalhos, foram encontradas marcas de sangue espalhadas pelo chão, uma faca entre outros diversos documentos. Inúmeros móveis da residência estavam revirados. Em um dos quartos, mais marcas de sangue foram observadas.
De acordo com a Polícia Civil, o suspeito Walter Júnio Gonçalves, de 19 anos participou da reconstituição do crime e forneceu detalhes de como matou as vítimas.
A RECONSTITUIÇÃO
Todo o trabalho foi realizado na própria cena do crime, o sítio da família. Walter, visivelmente abatido, contou à Polícia Civil os detalhes de como assassinou Ivone Gonçalves de Oliveira, de 74 anos, e Maurício de Oliveira, de 70 anos, na zona rural da cidade.
O rapaz chegou à noite, e entrou pelos fundos do sítio. Em determinado momento, abordou Maurício e relatou a ele que necessitava de dinheiro, precisamente, um empréstimo. Como a vítima negou o empréstimo, houve um desentendimento entre ambos. Foi quando o rapaz de 19 anos desferiu um golpe com uma pedra na cabeça do idoso.
Maurício já ferido, tentou correr, porém ainda foi atingido outras vezes pelo rapaz. A esposa, Ivone de 74 anos, estava no banheiro, dando banho no filho que é deficiente físico quando escutou gritos vindos da parte externa da casa. A idosa foi atrás ver o que estava acontecendo, quando também foi agredida pelo rapaz.
Walter empurrou o idoso ferido dentro da piscina e começou a tacar pedras na sua cabeça. A esposa da vítima, por sua vez, pegou uma faca na cozinha e tentou desferir golpes contra o rapaz. Ele por sua vez revidou e tomou a faca da mão de Ivone, também a agrediu e a empurrou para dentro da piscina. O casal, bastante ferido não conseguiu sair do local.
BRUTALIDADE
Após perceber que as vítimas estavam desacordadas, o rapaz entrou no interior da residência e iniciou uma busca incessante por dinheiro. Móveis entre outros utensílios da casa ficaram revirados. Ele não percebeu que o filho do casal permanecia no banheiro e voltou para a parte de fora da casa.
Uma vez mais, de frente à piscina onde havia empurrado o casal de idosos, Walter Gonçalves percebeu que Ivone estava se mexendo e ainda demonstrava sinais vitais. Durante a reconstituição ele alegou à polícia que tinha pretensão em salvá-la, entretanto pegou uma pedra e efetuou vários golpes diretamente no rosto da vítima, até perceber que a mesma já havia morrido.
A FUGA
Depois de comprovar que o casal estava morto, o jovem de 19 anos foi até a garagem do sítio e roubou um dos carros, um Fiat Siena e fugiu sentido a cidade de Abaeté. Ele abandonou o carro às margens da MG-176 e fugiu. Dois dias após estar foragido, um pedreiro de 34 anos que trabalhou junto com ele no sítio, foi quem revelou onde o rapaz suspeito estava. O jovem de 19 anos foi preso dois dias após o latrocínio e confessou a autoria do crime. Agora, a Polícia Civil tem dez dias para concluir o inquérito. O jovem deve ir a júri popular.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.