quinta-feira, 10 de Dezembro de 2015 10:53h Atualizado em 10 de Dezembro de 2015 às 11:06h.

Ronda

Idoso é espancado em Oliveira

Um homem, de 62 anos, perdeu a visão do olho direito após ser espancado por dois homens nessa segunda-feira (7), em um sítio em Oliveira. Segundo a Polícia Militar (PM), o homem é caseiro de um sítio e foi encontrado pelo sobrinho da proprietária do imóvel, na manhã dessa terça-feira (8). A dona do sítio tentou contato com o caseiro na noite de segunda e como não conseguiu, pediu ao sobrinho para verificar o que estava acontecendo. O homem encontrou o idoso muito machucado, mas ainda consciente. O idoso disse que dois homens chegaram ao local e o espancaram. Nada foi roubado, nem do local, e nem da vítima. Ainda de acordo com a PM, o idoso disse que fingiu de morto para não apanhar mais. O homem foi socorrido e transferido para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, onde passará por uma cirurgia. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, o idoso teve fraturas no maxilar, nariz e perdeu a visão direita, mas não corre risco de morrer. A vítima não quis repassar para os policiais nenhuma informação sobre os agressores.

 

 

Presidiários fazem greve de fome em Nova Serrana
Detentos do presídio de Nova Serrana iniciaram uma greve de fome nessa segunda-feira (7), reivindicando melhorias na alimentação e a solução da superlotação do local. Familiares foram até o presídio para visitarem os parentes que estão presos, mas não conseguiram. Eles denunciaram a demora para poderem realizar as visitas. Segundo o jornal O Popular, os visitantes chegam a esperar dez horas para poder entrar no presídio, e a situação se arrasta há oito meses. Alguns advogados tentaram entrar no presídio, mas não conseguiram. As famílias disseram que os agentes penitenciários informaram que os detentos não querem ver os advogados, porém, os parentes não acreditaram nesta versão. Os familiares vão se reunir no Fórum da cidade para que as reclamações cheguem até o promotor da comarca.

 

 

Homem se esconde em telhado após ser baleado em Itaúna
Um homem, de 37 anos, se escondeu no telhado de uma casa após ser baleado no bairro Piedade, em Itaúna, na noite desta terça-feira. Ele foi levado para o Hospital e não corre risco de morrer. Nenhum suspeito foi localizado. Populares acionaram a Polícia Militar, informando que havia um homem ferido na Rua Aurélio Campos. No local, os militares não encontraram ninguém e em uma segunda chamada ao 190, os populares informaram que o homem havia se escondido no telhado de uma casa na Rua Egídio Moreira. Na casa, os militares encontraram a vítima caída e com várias perfurações de arma de fogo. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi até o local e socorreu a vítima até o Hospital. A vítima, que possui envolvimento com furtos na cidade, passou por cirurgia e o quadro clínico é estável. Ela foi atingida por cinco tiros no ombro, região lombar, mão e perna. O homem disse aos militares que foi surpreendido por dois suspeitos em uma motocicleta, que chegaram próximo a ele e realizaram os disparos. Nenhum suspeito foi localizado.

 

Samonte
Em Santo Antônio do Monte, a Polícia Militar foi acionada no bairro São Geraldo, onde um homem, que não teve a idade revelada, chegou e procurou pela ex-esposa, de 46 anos. O homem foi atendido pelo irmão da mulher, de 40 anos, que, ao notar que ele estava armado, começou a correr pela rua. O suspeito efetuou um disparo, que não acertou ninguém, fugindo logo em seguida e não foi localizado.
Presidiários fazem greve de fome em Nova Serrana
Detentos do presídio de Nova Serrana iniciaram uma greve de fome nessa segunda-feira (7), reivindicando melhorias na alimentação e a solução da superlotação do local. Familiares foram até o presídio para visitarem os parentes que estão presos, mas não conseguiram. Eles denunciaram a demora para poderem realizar as visitas. Segundo o jornal O Popular, os visitantes chegam a esperar dez horas para poder entrar no presídio, e a situação se arrasta há oito meses. Alguns advogados tentaram entrar no presídio, mas não conseguiram. As famílias disseram que os agentes penitenciários informaram que os detentos não querem ver os advogados, porém, os parentes não acreditaram nesta versão. Os familiares vão se reunir no Fórum da cidade para que as reclamações cheguem até o promotor da comarca.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.