quinta-feira, 4 de Agosto de 2016 14:59h Carina Lelles

Ronda

HOMEM É PRESO APÓS TENTAR ROUBAR IDOSO

No início da manhã de ontem, um homem, de 33 anos, foi preso ao agredir e tentar roubar um idoso no Centro de Divinópolis. De acordo com a Polícia Militar, as câmeras do Olho Vivo flagraram Thiago Souza Ferreira agredir e pegar dinheiro da vítima, que é vendedora de jornais e balas em um ponto de ônibus na Avenida Getúlio Vargas.

Os militares foram acionados e abordaram o suspeito, que é usu­ário de drogas, possui passagens criminais e estava constando como desaparecido no sistema. Ele foi levado para a Delegacia.

JOVEM É PRESO SUSPEITO DE TRÁFICO

Durante patrulhamento pela Rua Mateus de Sousa Fernandes, no bairro Dom Bosco, os militares abordaram um jovem, de 20 anos. Na cintura dele, os policiais encontraram uma arma de fogo com duas munições, no bolso, foi localizado mais um cartucho picotado e quatro pedras de crack, além de R$120 em dinheiro. A motocicleta que ele estava foi removida para o pátio credenciado ao Detran.

ADOLESCENTE É APREENDIDO AO TENTAR JOGAR MATERIAIS PARA DENTRO DE CADEIA

Um adolescente, de 15 anos, foi flagrado na manhã desta terça­-feira tentando arremessar uma sacola com drogas para dentro da cadeia pública de Bambuí. De acordo com a Polícia Militar, ao ver os policiais, o adolescente tentou fugir, mas foi alcançado.

Com ele, foram encontrados dois tabletes de maconha, uma bucha de cocaína e quatro celulares. O adolescente disse que receberia R$100 pelo “serviço”, mas não disse quem o pagaria. Ele foi apreendido e en­caminhado para a Delegacia, juntamente com o material apreendido.

FUNDIÇÃO CLANDESTINA TEM ATIVIDADES SUSPENSAS PELA POLÍCIA AMBIENTAL

Militares do Pelotão de Meio Ambiente de Divinópolis realizaram fiscalização ambiental em uma fundição clandestina na Comunidade de Custódios, em Cláudio. Após realizar uma vistoria pelo local, os militares constataram que a fundição estava utilizando óleo queimado como combustível, sendo que é proibido o uso deste material, por libe­rar uma fumaça tóxica ao entrar em combustão. Constataram também que parte do óleo estava derramado, contaminando o solo e outros resíduos. Além dessas irregularidades, a empresa estava realizando suas atividades sem autorização ambiental de funcionamento e sem qualquer documento legal. O proprietário da fundição clandestina teve as atividades suspensas e foi autuado em R$ 16.616,27 pelo crime de poluição ambiental

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.