segunda-feira, 14 de Abril de 2014 14:22h

Sedese capacita policiais para garantirem proteção das crianças e adolescentes na Copa

Objetivo é aperfeiçoar o conhecimento sobre as possíveis violações de direitos que podem ocorrer durante a Copa do Mundo.

Policiais civis, militares, guardas municipais, equipes de abordagem social e representantes de Conselhos Tutelares de 42 municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e indutores do turismo estão sendo capacitados pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) para garantirem proteção integral aos direitos das crianças e adolescentes durante os seis jogos da Copa do Mundo na capital mineira. Com esse último módulo da qualificação, mais 400 profissionais estarão preparados para atuarem diretamente nesses municípios.

Promovida pelo Comitê Mineiro de Proteção Integral de Crianças e Adolescentes nos Grandes Eventos, por meio da Sedese e da Secretaria Municipal de Políticas Sociais de Belo Horizonte, a qualificação busca aperfeiçoar o conhecimento sobre as possíveis violações de direitos que podem ocorrer durante a Copa do Mundo, bem como deixar claro todo o fluxo e encaminhamentos que devem ser observados, caso ocorram essas transgressões.

Na segunda e terça-feira desta semana, outros 100 profissionais do Comissariado do Juizado da Infância e Juventude também tiveram acesso à capacitação. Ao todo, quase mil profissionais já participaram da preparação para o Mundial, incluindo representantes dos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente, dos Conselhos de Assistência Social, além de profissionais do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

Para o secretário de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social, Eduardo Bernis, trata-se de uma evolução e aperfeiçoamento de todo o trabalho desenvolvido na Copa das Confederações. Essa capacitação é de fundamental importância para o desenvolvimento de ações preventivas e de conscientização da própria sociedade para a importância da proteção de crianças e adolescentes em Minas durante o evento esportivo. “Esse é um momento de alinharmos as ações, organizarmos os fluxos de atendimento e garantirmos um trabalho em rede de qualidade, que permita a promoção e proteção dos direitos das crianças e adolescentes no nosso Estado”, enfatizou.

No próximo dia 20, o Comitê deverá lançar o “Documento Orientador” contendo todos os procedimentos e fluxos de atendimento que devem ser seguidos durante a Copa do Mundo, para garantir a proteção integral aos direitos das crianças e adolescentes em Minas. Todas as ações realizadas durante a Copa das Confederações, no ano passado, agora estão sendo aperfeiçoadas, para se tornarem constantes durante os grandes eventos no Estado.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.