quinta-feira, 12 de Maio de 2011 11:51h Marciel Muniz

Segurança pode estar fragilizada com a greve da Polícia Civil

A demora nos atendimentos às ocorrências prejudica as atividades da PM

A Polícia Civil de Divinópolis e de todo o estado de Minas Gerais em busca de melhores salários e melhores condições de trabalho, está em greve desde o dia 10.


A categoria fez várias reivindicações na  assembleia realizada em Belo Horizonte, e como não teve as suas exigências atendidas pelo governo, decidiu cruzar os braços e atender em caráter precário somente casos de urgência.

 

De acordo com informações de Renata  Queiroz responsável pelo setor de comunicação do sindicato da categoria  em Belo Horizonte, o policial militar ao conduzir o delinquente ou flagrante para a delegacia de Polícia Civil ficará retido por um bom tempo devido ao atendimento reduzido. Com isso o policiamento nas ruas terá um menor número de militares.

 

Renata também destacou que apesar das ações conjuntas entre as policias Militar e Civil, o policiamento ostensivo e preventivo não é responsabilidade da Polícia Civil. “Operar com investigações, mandados, inquéritos e processos decorrentes de boletins de ocorrência, é de responsabilidade da Polícia Civil ”explicou.

 

Outra área bastante afetada com a greve da categoria é o Instituto de Criminalística ao qual também são vinculados os setores de perícia do interior. De acordo com uma cartilha de orientação feita pelo sindicato, durante a greve somente serão realizadas as perícias e exames necessários aos casos de flagrantes de crimes e ocorrências envolvendo vítima fatal no local. Nos acidentes de trânsito em que não houver vítimas, as perícias não serão realizadas.

 

As delegacias estão funcionando apenas com plantões revezados entre os delegados. Contudo, mesmo com a greve, em caso de homicídios e sendo possível, a autoridade policial e sua equipe comparecerão ao local do crime, mas não deverão proceder a ações investigativas, somente se houver flagrante. As Delegacias de Mulheres devem proceder normalmente nos casos urgentes em que se requerem medidas protetivas, em casos de violência doméstica.

 

A utilização de viaturas por policiais também foi restringida. As viaturas só poderão ser usadas nos flagrantes de crimes, do contrário ficarão todas recolhidas ao pátio das unidades policiais.



A greve é por tempo indeterminado, segundo informações do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do estdo de Minas Gerais (Sindepol).
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.