sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2016 10:11h

Suspeita de ordenar sequestro e homicídio de jovem em Contagem é presa pela Polícia Civil

O corpo da vítima foi encontrado com os olhos e o lábio inferior arrancados, além de parte do cabelo raspado

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira (17), Gislene Cátia da Silva Ferreira (a Gisa), de 38 anos, apontada como mentora do sequestro e morte de Poliane Santana de Castro, de 20. O crime, ocorrido no dia 17 de julho do ano passado, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi amplamente divulgado em virtude da brutalidade e frieza empregadas na execução.

Levantamentos apontam que a ação criminosa teria sido planejada por Gislene, uma vez que a vítima iniciou um relacionamento com o ex-marido da investigada. Gislene, conhecida por liderar o tráfico de drogas no bairro Maracanã, foi presa em Justinópolis.
A Polícia Civil já havia cumprido mandado de prisão contra Camila Fernanda Ramos (conhecida como Fernanda), de 26 anos, também por envolvimento neste homicídio. Jefferson da Silva Santiago (o Jefinho), de 25, sobrinho de Gislene, continua foragido.

 

 

Crime bárbaro

Após ser mantida por três dias em cativeiro, Poliane foi executada com dois tiros, sendo um na nuca e outro nas costas. Ela ainda teve os olhos e o lábio inferior arrancados, além de parte do cabelo raspado. Poliane foi sequestrada no dia 14 de julho, no bairro Jardim Marrocos, e mantida em cativeiro, na região do bairro Nova Contagem, durante três dias. Ela foi morta na madrugada do dia 17 do mesmo mês e teve seu corpo abandonado, na mesma data, na pedreira no bairro Granja Vista Alegre.

Além de homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e com recurso que dificultou defesa da vítima, os presos também irão responder por sequestro qualificado (grave sofrimento físico ou moral); destruição de cadáver; formação de quadrilha armada e corrupção de menores, já que uma adolescente teria ajudado o trio no dia do sequestro.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.