sexta-feira, 20 de Maio de 2016 09:11h Ministério Público Federal em Minas Gerais

TERCEIRA FASE DA OPERAÇÃO MAR DE LAMA INVESTIGA NOVOS ENVOLVIDOS NOS CRIMES DE CORRUPÇÃO EM VALADARES (MG)

Foram presos hoje sete dos 13 vereadores afastados de seus cargos desde o mês de abril a pedido do MPF

A investigação denominada Operação Mar de Lama entrou hoje em sua terceira fase, com o cumprimento de cinco mandados de prisão preventiva, 15 de prisão temporária, 21 de busca e apreensão, 17 de afastamento de cargo público e três de sequestro de bens nas cidades de Governador Valadares e Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Estão sendo apurados crimes de corrupção, fraudes a licitação, desvio e apropriação de recursos públicos por uma organização criminosa instalada na Administração Pública de Governador Valadares. O esquema foi descoberto a partir de inquérito civil público instaurado pelo Ministério Público Federal (MPF) para verificar a regularidade na execução de um termo de compromisso firmado pelo Município com o Ministério da Integração Nacional no valor de R$ 4,7 milhões.

 

 



No decorrer das investigações, o MPF constatou que, embora a empresa contratada não possuísse capacidade econômica e operacional para o tipo de obra e serviço que deveriam ser executados, ela havia sido contratada pela prefeitura municipal mediante dispensa de licitação.

O MPF requisitou então instauração de inquérito policial à Polícia Federal e o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) para a realização de auditoria nas obras e serviços, quando se descobriu um sistemático desvio e apropriação de verbas, com pagamentos mensais de propina a oito vereadores da cidade.

 

 



Durante as investigações, o juízo federal declinou competência para a Justiça Estadual em relação aos fatos que envolviam emprego de recursos estaduais e municipais, o que acabou resultando na terceira fase da operação Mar de Lama realizada nesta quinta-feira, 19 de maio, pela Polícia Federal, Polícia Militar de Minas Gerais e Ministério Público Estadual, em parceria com o MPF e servidores da recém extinta CGU.

Entre os presos nesta quinta-feira, estão sete vereadores afastados de seus cargos durante a primeira e segunda fases da operação, ocorridas em 11 e 27 de abril, além de agentes públicos e empresários, entre eles os proprietários da empresa Valadarense, contratada pela prefeitura municipal para a prestação de serviços de transporte coletivo em Valadares.

 

 



No total, 26 agentes públicos já foram afastados de seus cargos. Na última segunda-feira, o MPF ofereceu as primeiras denúncias da Mar de Lama, tendo acusado 22 pessoas, conforme a participação de cada um nos fatos, da prática de diversos crimes, entre eles, corrupção ativa e passiva, peculato, advocacia administrativa, fraude a licitação e organização criminosa.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.