quarta-feira, 26 de Março de 2014 05:12h Atualizado em 26 de Março de 2014 às 05:17h. Carla Mariela

Adair Otaviano pronuncia sobre mudanças recentes na saúde em Divinópolis e transtornos

O vereador Adair Otaviano (PMDB), durante discurso na câmara de Divinópolis abordou sobre as questões da saúde que estão causando transtornos para a população.

O parlamentar leu em plenário um ofício que foi encaminhado pelo médico Dr. Alberto Gigante para o secretário de Saúde municipal, David Maia.
De acordo com Otaviano, diante das informações de Gigante, médico para ele de tamanho gabarito em Divinópolis, ele elaborou este documento porque tem dúvidas. O vereador explicou que Gigante fez este ofício com algumas indagações e abordando ao secretário se estas mudanças que estão ocorrendo na saúde em relação ao Pronto Socorro Central para a UPA Sudeste seriam viáveis.
Quanto à questão da dengue, Otaviano frisou que o ofício aponta que a cidade está vivendo uma epidemia de dengue, inclusive no final de semana passado, houve a suspeita de que um rapaz de 22 anos tenha morrido de dengue hemorrágica. “As mudanças recentes na saúde trazem benefício, mas também trazem prejuízos. Estamos temerosos. Esse secretário de Saúde teria que estar tomando uma atitude com relação à epidemia de dengue. Acho que deveriam ter carros fumacês percorrendo a cidade”, disse.
Sobre a mudança do Pronto Socorro Central para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Ponte Funda, Otaviano enfatizou que o governo municipal poderia manter o Pronto Socorro funcionando, fazer até a mudança, mas não entregar para o Hospital São João de Deus e cuidar primeiro da epidemia de dengue porque para o vereador a dengue está fazendo mais vítimas a cada dia.
Ainda o parlamentar declarou que uma das indagações do Dr. Alberto Gigante, é se os programas de saúde da família já estão instalados para atender a população. “Ninguém sabe se os programas estão prontos. Eu quero mudança para melhoria em prol do povo”, frisou.
Sobre o acesso a UPA Sudeste, Otaviano informou que não há nada decidido e mesmo depois que asfaltar a rua Jesus Jota o fluxo ainda será questionável no local.
Com relação a verba do PAC, o vereador finalizou dizendo que o gestor da cidade faz propaganda enganosa, porque o dinheiro que está fazendo o asfalto do Pró-Transporte é um dinheiro do PAC 2, assim como se teve o dinheiro do PAC 1 para asfaltar as linhas de ônibus de terra que até hoje segundo Otaviano estão com a mesma característica porque a empresa que fazia parte da obra quebrou. “O povo não se deu conta que esse governo não faz nada, não tem dinheiro de sobra da arrecadação municipal, está falido, está quebrado. Esse governo deve milhões”, concluiu.
Projeto de regime de urgência é aprovado, mas causa conflito entre vereadores do mesmo partido

 

 

O projeto de número EM 021/2014 foi incluso na pauta de ontem. A lei cria os cargos públicos efetivos, sob regime estatutário, de Médico Generalista, para atendimento ao Programa de Saúde da Família, com carga horária de 20 vinte horas semanais e de Técnico de Enfermagem para atendimento ao Programa de Saúde da Família, com carga horária de 200 horas mensais; alterando a lei 6655 de 01 de novembro de 2007, com a fixação de vencimentos, a respectiva quantidade de vagas, requisitos para investidura e dá outras providências.
O vereador Adair Otaviano e Hilton de Aguiar que são dos mesmos partidos se estranharam e Adair pretende fazer reclamações sobre Hilton ao partido PMDB, pelo fato de Hilton ter insultado o médico Dr. Alberto Gigante. Para Hilton o médico não deve ir para a UPA Sudeste porque para ele, Gigante pode atrapalhar. No final do debate, a lei foi aprovada.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.