sexta-feira, 30 de Agosto de 2013 06:08h Carla Mariela

Advogado apresenta irregularidades para presidente do Conselho Brasileiro de Dança

Secretário de cultura lamenta o ocorrido e afirma que nos próximos 15 dias será publicado o edital de credenciamento dos professores que quiserem participar

O advogado, Dr. Robervan Faria, após anúncio da criação da Escola de Dança em Divinópolis feita pelo secretário de cultura, Bernardo Rodrigues, junto com a delegada do conselho de dança, Cristina Helena; denunciou as irregularidades desta iniciativa. A denúncia chegou ao gabinete do vereador Marcos Vinícius (PSC), que solicitou por meio da Comissão de Justiça um encontro com o advogado e o secretário. Após o encontro, o advogado encaminhou uma nota extrajudicial do fato para o conhecimento da presidente do Conselho Brasileiro de Dança em Goiás, Gisela Vaz.

 


Conforme a nota extrajudicial, a intenção da Cristina Helena junto com o secretário seria implantar na cidade esta escola pública de dança, sem o crivo de processo licitatório, e com esteio de sair de Belo Horizonte para trabalhar em Divinópolis gratuitamente, inclusive prejudicando outras escolas de dança na cidade que pagam regularmente seus impostos.
Em nota o advogado disse que o que mais o chamou atenção foi o fato da Cristina Helena ser voluntária em Divinópolis, sendo que em Nova Lima, ela implementa o mesmo projeto de dança e ganha cerca de 200 mil reais, e ainda Cristina Helena está usando o título de delegada do Conselho Brasileiro da Dança para benefício próprio.

 


A presidente Gisela Vaz, ressaltou que recebeu as informações vindas do advogado, mas enfatizou que se o projeto está com irregularidade, ela não tem nada a ver com isso. Gisela destaca que a única coisa que fez, como presidente do Conselho Brasileiro da Dança em Goiás, foi dar sugestão para a Cristina Helena que é delegada do conselho, para que ela não interferisse no projeto, uma vez que ela está em Belo Horizonte e não tem nada a ver com Divinópolis. “A Cristina disse que iria acatar a minha sugestão e que ia conversar com o prefeito”, afirmou.

 


O secretário de cultura, Bernado Rodrigues, disse que havia acabado de sair do Ministério Público e a previsão é que nos próximos quinze dias será publicado o edital de credenciamento dos professores dando sequência no projeto. “Eu só vou saber da participação da Cristina Helena, quando publicar o edital e ela se credenciar. Vamos montar uma comissão também para analisar estes profissionais que vão se credenciar, ajudar também na seleção dos alunos que vão integrar ao projeto. O projeto não vai ser comprometido por esta confusão, porque o que foi encaminhado para a presidente do Conselho Brasileiro da Dança, lamentavelmente, é uma distorção das coisas que estão acontecendo porque se fala de ações de que está sendo fraudada a lei de licitações, da forma de vantagem; que não são verdadeiras. A gente tem obrigação de levar a presidente do conselho, a Gisela, uma versão coerente do que está acontecendo, pois o que ocorreu até agora é uma pessoa que por algum motivo não quer que a escola aconteça e está tentando inviabilizar”, afirmou.

 


Ainda conforme o secretário, o posicionamento da prefeitura é dar sequência ao projeto e ele relembrou que o advogado, durante reunião com a comissão, havia manifestado o interesse da Juliana Maia ou até outras professoras coordenar o núcleo. “Acho legal, e se a Juliana Maia estiver disposta, a gente quer contar com a inscrição dela. Se a Cristina Helena quiser se credenciar teremos dois núcleos e assim por diante. Agora, essa é uma forma voluntária não tem recurso e a Cristina Helena estava disposta a vir dessa forma. Nós lamentamos que tenha se levado ao conhecimento da presidente do conselho”, encerrou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.