segunda-feira, 4 de Julho de 2011 18:14h Atualizado em 5 de Julho de 2011 às 09:57h. Sarah Rodrigues

Agentes comunitários de saúde tomam posse

ESF ganha mais 51 nomeados

Foram empossados na manhã de ontem (04), no auditório da Secretaria Municipal de Educação (Semed), 51 agentes comunitários de saúde. Os novos profissionais da saúde substituem os cargos que eram preenchidos por contrato e terminam com o impasse que havia entre servidores e prefeitura. Os agentes foram aprovados no processo seletivo referente ao edital n° 01/2009 e trabalharão na ESF (Estratégia da Saúde da Família).


Os agentes estavam muito felizes ao serem empossados, já que passaram no concurso em 2009 e desde então aguardavam a vaga.


Júnia Teodoro Rodrigues Santos, que já era agente de saúde discursou em nome dos agentes e disse estar feliz e ao mesmo triste, pelos colegas de trabalho que se despediram do cargo. “Desde janeiro de 2009 nós caminhamos juntos com as secretarias para que hoje nós pudéssemos coroar com grande beleza este momento de posse. Neste momento a gente sente que o nosso trabalho está sendo concluído, esta batalha, hoje nós vencemos e esperamos vencer outras”, ressaltou.

Durante a solenidade de posse a secretária municipal de saúde, Rosenilce Cherrie Mourão enfatizou que os nomeados devem entender que o trabalho dos agentes de saúde são reconhecidos pela Semusa, como um dos mais importantes. Segundo ela, o papel do agente comunitário de saúde no contexto de toda a proposta da ESF, é muito importante, pois são os olhos da Semusa junto à população. “Precisamos desde o início tentar trabalhar essa sintonia, com a maneira que vocês se enxergam, sabendo que são extremante valorizados. A expectativa que nós temos dos agentes comunitários de saúde e a valorização que nós damos ao trabalho de vocês é imensa, porque nosso alvo maior é trabalhar a qualidade de vida das pessoas e vocês são os nossos olhos junto à comunidade”.

 


Cherrie enfatizou que a ESF busca o contato com a população por isso a importância dos agentes de saúde que são uma extensão dos centros de saúde.

Para o prefeito Vladimir Azevedo a posse dos agentes é um momento histórico para a cidade, principalmente pela causa dos agentes. “É uma alegria ver este momento, nós coroamos uma luta de muito tempo”. O prefeito explicou para os agentes a causa da demora da contratação. Eles passaram em um concurso público em 2009 e devido a uma anomalia no sistema, não puderam ser efetivados. “Na formatação antiga os agentes comunitários de saúde eram cargos comissionados, porque na época quando surgiu o cargo, foi motivado pelos primeiros surtos da dengue na década de 90, depois os programas de saúde da família e os agentes precisam estar geograficamente perto de suas regiões”.


Vladimir enfatizou que quando iniciou o mandato os agentes de saúde estavam exonerados, e uma emenda constitucional corrigiu o problema existente no município. “A própria constituição viu que era um caso especial, não há como ser um agente de saúde sem ter um vínculo com a comunidade, corrigiu e a partir daí tivemos que fazer nossas adaptações para corrigir essa anomalia, aí vieram avanços, recuos, e nessas idas e vindas, podemos dizer que coroamos este processo”, frisou.


A Lei 11.350 regulamentou o processo seletivo que os empossados participaram e deu condições à prefeitura para regulamentação do problema existente. “Tentamos valorizar o máximo do que já tínhamos de agentes de saúde, em respeito ao que já ofereceram ao município de dedicação e conduzimos o processo com toda lisura que resulta hoje nesse contrato precário, mas fizemos o máximo para valorizar o trabalho de vocês”, afirmou Azevedo.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.