Ângelo Roncalli deixa cargos para concorrer a deputado estadual

Ele abriu mão das funções de vice-presidente da CNM e de superintendente geral da AMM e colocou nome à disposição do PR.

Ângelo Roncalli compareceu ontem pela manhã à Gazeta do Oeste para anunciar o seu desligamento das funções frente à Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e da Associação Mineira dos Municípios (AMM). O motivo que o levou a deixar os cargos está relacionado com as eleições de 2014. Segundo Roncalli, ele colocou o seu nome à disposição do Partido Republicano (PR) em uma reunião recente realizada pela diretoria do partido para ser candidato a deputado estadual.
Conforme Roncalli, ao longo do período em que esteve trabalhando na vice-presidência da CNM, na superintendência geral da AMM e também enquanto presidente da AMM, ele aprendeu bastante.
Ele fez esta escolha porque resolveu escutar os conselhos de alguns prefeitos, ex-prefeitos e cidadãos. “Fico feliz com o trabalho feito e estou deixando de fato o cargo da vice-presidência da CNM e o cargo da AMM. Vários amigos me entusiasmaram e coloquei o meu nome como pré-candidato a deputado estadual pelo PR. Faço parte da executiva deste partido e a partir de agora a ideia é enfrentar novos desafios com o objetivo de continuar servindo e trabalhando em prol da comunidade. Quero aproveitar toda esta experiência que tive, todo o relacionamento com os vários líderes de governo, toda a minha interlocução com os parlamentares, governo federal e governo estadual”, relatou.
O objetivo principal da sua candidatura, caso seja o escolhido durante as convenções que serão realizadas entre os dias dez e trinta de junho, é fortalecer a região Centro-Oeste considerando que esta região precisa aumentar os seus representantes na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Outro ponto que Roncalli destacou foi a questão do pensamento macro. Para ele, o intuito é fazer uma política macro para unir os variados setores da sociedade, buscando passos mais largos e certeiros para Divinópolis e região.
Entretanto, o ex-superintendente da AMM ainda reforçou que se não houver o comprometimento da população nas eleições de outubro para a escolha de seus representantes a deputado, senador e governador, que queiram de fato dividir melhor o bolo tributário para que os municípios tenham mais condições de investimentos na saúde e educação, a situação cada vez mais se complicará, porque, segundo ele, o povo está pedindo o municipalismo já. “O grande triunfo para as eleições é ter um pacto de verdade entre aqueles que irão representar o povo com a divisão mais justa dos recursos e dar aos municípios condições necessárias de fazer as políticas que a população está cobrando”, abordou.

Associação de ex-gestores
Conforme Ângelo Roncalli a sua saída oficial da AMM será nesta próxima sexta-feira. Nesse sentido, ele anunciou o lançamento da Associação Mineira de ex-gestores Públicos (AMGEP). Esta associação tem como objetivo resgatar os ex-prefeitos, agentes políticos, independente de questão política local ou de questões partidárias. “São pessoas que acertaram ou erraram, que têm boas práticas de gestão e que podem contribuir não só com os gestores atuais mas, acima de tudo, também com uma interlocução com a própria comunidade, mostrando que de fato precisamos de uma federação mais justa e que esse é o grande caminho”, enfatizou.
A sede desta associação em Divinópolis fica na Rua 21 de Abril, esquina com Goiás, no prédio da TIM, no 8º andar. Inicialmente Roncalli disse que já tem mais de 300 afiliados e que a expectativa é chegar a mil até o mês de maio e junho. “Vamos dedicar muito a essa associação e aos trabalhos que tenho feito em várias frentes. Vamos lançar também o portal e o informativo desta associação”, concluiu.
Congresso de Vereadores
A AMM realizou recentemente o IV Congresso de Vereadores. Segundo Roncalli, esta é uma associação que defende os interesses dos gestores locais e dos legislativos municipais. Este congresso teve início a partir do momento que ele foi presidente da AMM. “Este congresso de vereadores que ocorreu recentemente foi no sentindo de qualificar e orientar os vereadores e, acima de tudo, chamar a atenção de cada um deles independente do papel de legislar, fiscalizar, para este novo papel de interlocutores mais próximos da comunidade ainda mais depois das mobilizações populares. É necessário que os vereadores ouçam mais a população, participem das reuniões de bairro”, declarou.
O encontro contou com a participação de mais de 800 vereadores de várias cidades de Minas Gerais. De acordo com Ângelo, o saldo foi positivo. Ele espera que tenha contribuído não só para a qualificação, mas também para o melhor conhecimento dos vereadores sobre o sistema federativo, para que eles possam estar de fato representando a sociedade.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.