quinta-feira, 25 de Agosto de 2011 10:57h Liziane Ricardo

Aristides Salgado se filia ao PT mirando 2012

Na corrida por uma cadeira no Legislativo o ex-prefeito defende o aumento no número de vereadores de 13 para 15 ou 17 parlamentares

O arquiteto urbanista, ex-prefeito, ex-vereador Aristides Salgado confirmou ontem a Gazeta do Oeste que saiu do PC do B por motivos de idealismos diferenciados, além do fato da sigla no âmbito municipal caminhar junto da base tucana que comanda a atual gestão. Na oportunidade, Aristides Salgado recebeu um convite do Partido dos Trabalhadores (PT) para se juntar aos demais pré candidatos da legenda, fortalecendo ainda mais as intenções eleitorais do partido para o pleito de 2012.


Aristides explicou que não teve nenhum tipo de desavença ou impasse para com o PC do B, e detalhou ainda que sua identidade com o PT já existe há muito anos. “Desde quando eu militava em Belo Horizonte contra a ditadura militar, da qual na época tivemos companheiros de luta que hoje se tornaram presidentes do país, como Lula e Dilma, o Ministro Fernando Pimentel, Patrus Ananias, entre outros companheiros”, destacou. Salgado ressaltou que em seus dois mandatos como prefeito de Divinópolis teve companheiros do PT caminhando junto de sua administração. Já o ano 2000 fui candidato a prefeito pelo PPS e mesmo não tendo ganho, tive o apoio do PT.


Atualmente o PC do B caminha junto do governo PSDB, sob ideais diferenciados do olhar urbanístico de Aristides Salgado. Sobre este contexto, o mais novo petista avalia que por terem ideais diferenciados, não conferia com sua proposta nos quesitos de saneamento, infraestrutura, meio ambiente (coleta seletiva e tratamento de esgoto), educação, saúde, segurança pública, habitação e social urbanístico. “Acima de tudo, é o municipalismo falando mais alto”, demonstrou. Salgado acrescentou que não tem incompatibilidade nenhuma com o PC do B, uma vez que prega o socialismo evolutivo, democrático e progressivo que o mesmo da sigla.
 

Relembrando a última polêmica da assinatura do contrato da Copasa com a prefeitura municipal, Salgado aproveitou a ‘deixa’ para frisar “o município está andando na contra mão assim como tem ido parte do mundo. Eu tenho coerência e a levo como a palavra mágica da política! E dentro deste quadro, vejo que o PC do B não está discutindo, e já o PT pretende discutir e ainda tem uma estrutura partidária forte para formar uma coligação e discutir um grande projeto” revelou.

 

CELEBRANDO


O militante do PT Antônio Baião, contou que na última terça-feira (23) foi realizado um encontro da Executiva Municipal do PT, no qual Aristides Salgado foi oficialmente acolhido pelo partido. A sigla pretende celebrar a chegada do novo militante petista, com uma solenidade programada para o dia 16 de setembro na Câmara Municipal. “É um prazer receber o Aristides, e por isto queremos fazer este evento para dar uma retumbância ao nível da historia do Aristides”, disse Baião.
 

O evento contará com a presença de autoridades da federação e do Estado, alguns ministros estão tentando encaixar a data na agenda para participar e dentre eles, Patrus Ananias já confirmou presença, assim como deputados federais e prefeitos da região também confirmaram. “Neste dia queremos proporcionar uma filiação em massa, para contarmos com uma massa nova”, contou. Já em relação ao número de candidatos interessados em se candidatar pelo PT, Baião não soube precisar um número, mas afirmou que são muitos os interessados e agora com a chegada de Salgado acredita que a procurar será ainda maior. “Já foi decidido em âmbito Nacional que o PT de Divinópolis terá chapa majoritária. Só não será possível ser ‘puro sangue’ porque temos a intenção de fazer algumas coligações”, confirmou.

 

CADEIRAS DO LEGISLATIVO


Questionado sobre a polêmica que gira em torno da Câmara Municipal, em relação ao aumento no número de vereadores em Divinópolis, passando possivelmente de 13 para dezenove ou vinte e um parlamentares, Aristides Salgado se mostrou favorável ao consenso de 15 ou 17 parlamentares. “Tenho opinião formada que esta discussão deu muita controvérsia, porém a minha opinião em síntese é que a representatividade de Divinópolis, em se comparando o número de vereadores com o número de habitantes fica aquém daquilo que democraticamente é necessário para atender o município”, pontuou. No entanto, Salgado concordou com o consenso da Comissão Especial da Câmara ao propor o aumento de 13 para 15 parlamentares. “Além das questões financeiras, eu como arquiteto sei que aquele local onde esta instalada a Câmara, não comporta um número excessivo de vereadores. Sou contra um número excessivo, mas se ficar entre 15 ou 17 acredito ser um aumento considerável, equilibrado e ponderável para atender a representatividade do município” finalizou o mais novo petista.
 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.