quinta-feira, 18 de Agosto de 2011 09:33h Atualizado em 18 de Agosto de 2011 às 09:35h. Flávia Brandão

Aumento para 21 vereadores é considerado inviável

Presidente da Comissão Especial adianta que aumento de 21 vereadores será inviável

O vereador Edmar Rodrigues (PRTB), que é o presidente da Comissão Especial (CM 011/2011), nomeada pelo presidente da Câmara Municipal, Pastor Paulo César (PRB), para emitir parecer sobre a proposta de Emenda a Lei Orgânica Municipal CM-004/2011, que trata do aumento no número de vereadores, adiantou que os levantamentos da Comissão apontam que o aumento para 21 cadeiras é inviável não pelo orçamento, mas pela estrutura física da Câmara Municipal. De acordo com Edmar, a previsão é que hoje, seja apresentado o parecer final ao presidente da Câmara e a toda imprensa.


O vereador Edmar destacou que a Comissão Especial está empenhada em concluir a análise do impacto do aumento de parlamentares levando em conta detalhes da previsão do orçamento de 2013 e as despesas do Legislativo, bem como o espaço físico, que teria que ser modificado para comportar oito novos gabinetes. “Se nós passarmos para 21 vereadores teríamos que ter mais oito salas e iria ficar inviável”, declarou.


Relatório


O presidente Edmar Rodrigues acredita que hoje será possível apresentar o relatório final, o qual irá avaliar se deverão ser mantidos os 13 vereadores ou se será feito um aumento no número de cadeiras. “Estamos fechando os estudos e iremos avaliar se a Câmara deve manter os 13 ou se vai ter um aumento nem que seja irrisório, verificando se essa mudança não irá trazer nenhum prejuízo para a população nem para a Câmara Municipal nos trabalhos futuros” destacou.
 

O parlamentar disse que está sendo estudada pela Comissão a sugestão de um aumento pequeno nesse mandato para não trazer transtornos para os próximos presidentes e no futuro poderia ser estudado um aumento maior. O peerretebista citou que na época em que foi presidente do Legislativo fez um pedido ao prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) no intuito de que fosse cedido um espaço ao Legislativo no prédio da FACED e essa hipótese não foi descartada. “Pedimos ao senhor prefeito, quando eu fui presidente da Casa, que nos desse um pedaço daquele terreno lá da FACED para que pudesse ser implantada a Câmara Municipal naquele local”, afirmou.


Questionado qual seria a idéia para o prédio atual, caso houvesse um novo prédio para a Câmara, Edmar disse que isso deveria ser decidido pelo presidente que estiver à frente do Legislativo na época. “Poderia ser uma parte do protocolo, que servir tanto para Prefeitura como para a Câmara Municipal. O próprio presidente da época poderá decidir qual seria a parte que poderia estar funcionando no local”, disse.


O parlamentar avalia que o ideal é que se voltasse para 19 vereadores - o número que havia anteriormente - mas salientou que é preciso aguardar todos os levantamentos da Comissão Especial, que irá emitir o parecer sobre a questão.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.