segunda-feira, 29 de Junho de 2015 14:01h

Barbosa diz que clima político não prejudica interesse dos investidores

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse hoje (29) que o atual cenário político brasileiro pode causar incertezas de curto prazo no interesse dos investidores em projetos de infraestrutura no Brasil

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse hoje (29) que o atual cenário político brasileiro pode causar incertezas de curto prazo no interesse dos investidores em projetos de infraestrutura no Brasil, mas não prejudica as perspectivas de longo prazo. Barbosa participou, em Nova York, do Seminário Infraestrutura no Brasil, onde detalhou como o investidor internacional pode participar da segunda fase do Programa de Investimento em Logística.

“Tem uma demanda reprimida muito grande, o que garante a viabilidade dos projetos e a tradição que o Brasil tem de ter uma economia de transparência fiscal no uso de recursos públicos e de respeito aos contratos. Acho que isso predomina", acrescentou.

Sobre o clima político do país, Barbosa esclareceu que o debate causa alguma incerteza para os investidores no curto prazo, mas não prejudica as perspectivas de longo prazo, "que são as mais importantes nesse tipo de projeto”.

Para o ministro, é preciso separar as coisas. "Uma coisa são flutuações. Acho que o Brasil tem instituições fortes para lidar com esses problemas. Isso pode levar a algum efeito de curto prazo, criar uma expectativa de volatilidade na economia no curto prazo, mas estamos falando de projetos de 20, 30 anos.”

Nelson Barbosa explicou que vários investidores manifestaram interesse nos projetos de infraestrutura, especialmente em portos e aeroportos, incluindo os regionais. “Há interesse maior em portos e aeroportos. Os interessados em rodovias são investidores domésticos, que já as conhecem, estão operando e sabem o potencial de cada uma”, acrescentou.

Durante o seminário, Barbosa informou aos investidores que o Brasil vive um momento de transição e ajustes por causa das mudanças enfrentadas pela economia interna e mundial. Segundo ele, esse cenário exige medidas de ajuste, mas também possibilita a implementação de nova fase de crescimento, baseada em mais investimentos e maior produtividade.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.