BATE BOLA: Duplicação da MG 050 é debatida com parlamentares (Dep.Fabiano Tolentino)

Fabiano Tolentino

A duplicação da MG 050 é alvo de discussão entre os representantes mineiros desde a implantação das praças de pedágio na extensão de Betim à São Sebastião do Paraíso. As duplicações nas proximidades de Juatuba foram essenciais para o fluxo seguro de veículos, considerando a quantidade de acidentes recorrentes na localidade. Entretanto, as cidades da região Centro-Oeste, testemunham o protelamento da duplicação compromissada desde o ano passado entre a Concessionária Nascentes das Gerais e as autoridades políticas.

 


Sobre este contexto, a Gazeta do Oeste preparou cinco perguntas para os quatro representantes de Divinópolis, tanto na esfera estadual quanto na federal, e o primeiro a responder foi o deputado estadual Fabiano Tolentino (PRTB):

 

1. A duplicação da MG 050 vem sendo protelada há muito tempo. Como os representantes de Divinópolis pretendem lutar por esta obra?

F.T: Estamos lutando para agilizar o processo de revisão do contrato de concessão. Tenho buscado o apoio dos deputados da base, como Fabio França, Neider Moreira para que este impasse seja resolvido o quanto antes. Pois o que ocorreu foi que a duplicação total não estava prevista no contrato de concessão.

 

2. Os motoristas têm optado por passar pela BR 262, primeiro por causa das boas condições da rodovia e segundo para não ter que pagar pedágio. O que os deputados pretendem fazer para mudar esta situação?

F.T: Voltamos no mesmo caso da revisão do contrato, do qual devemos esperar que o Estado e a Nascentes cheguem a um acordo, para que seja iniciada a obra de duplicação da rodovia.

 

3. Quanto tempo há mais os moradores do bairro Icaraí terão que esperar para que sejam feitas as obras do trevo do Icaraí?

F.T: No caso do trevo do bairro Icaraí, é uma questão que também está presa no trâmite das indenizações. O valor em contrato foi menor do que está sendo indenizado pela concessionária.

 

4. Outra questão é a perda que o município tem sofrido em relação a vinda de novas empresas, a exemplo da Coca-Cola que foi para Itabirito e não para Divinópolis, por falta de Logística? Sendo que o município já teve e ainda tem toda a estrutura da empresa no bairro Icaraí, como lidar com isto?

F.T: Em relação a esta questão das empresas, é visível que com a duplicação o acesso será bem mais fácil. Mas na última conversa que tivemos com o secretário Estadual de Transportes e Obras Públicas, chegamos a conclusão que a solução mais rápida será dando andamento ao Complexo da Ferradura. O projeto do complexo é justamente para atender a instalação de novas empresas no município.

 


5. A estrada que corta a cidade de Igaratinga também é uma obra esperada há anos, e irá privilegiar o acesso dos motoristas da região que optam por não pagar o pedágio e preferem passar pela estrada. Neste caso, já foi liberado um recurso para a pavimentação da via que ainda é de terra, e por isto, gostaríamos de saber de nossas autoridades o por que da obra ainda não ter sido feita? 

F.T: A estrada de Igaratinga, assim como as vicinais de São Sebastião do Oeste e Papagaios estão inclusas no projeto ‘Caminhos de Minas’ que irão ligar a MG 050 à BR 262. Os projetos ainda estão em fase de licitação, e assim que terminarem ,as obras serão executadas o quanto antes.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.