sexta-feira, 22 de Julho de 2011 16:18h Atualizado em 26 de Julho de 2011 às 09:33h. Liziane Ricardo

BATE BOLA :Duplicação da MG 050 é debatida com parlamentares (Dep.Luzia Ferreira)

Luzia Ferreira

A duplicação da MG 050 é alvo de discussão entre os representantes mineiros desde a implantação das praças de pedágio na extensão de Betim à São Sebastião do Paraíso. A duplicação total da rodovia é algo esperado por moradores de toda a região Centro-Oeste, entretanto, as pessoas são testemunhas do protelamento da duplicação compromissada desde o ano passado entre a Concessionária Nascentes das Gerais e as autoridades políticas.
Sobre este contexto, a Gazeta do Oeste preparou cinco perguntas para os quatro representantes de Divinópolis, tanto na esfera estadual quanto na federal, a segunda representante a responder foi a deputada estadual Luzia Ferreira (PPS):

 

1. A duplicação da MG 050 vem sendo protelada há muito tempo. Como os representantes de Divinópolis pretendem lutar por esta obra?

As obras de duplicação da MG 050 serão realizadas pelo regime de Parceria Público Privada (PPP), essa é a primeira experiência de contrato desta modalidade na área de infraestrutura rodoviária do país. Este pioneirismo implica na superação de desafios logísticos e operacionais que muitas vezes comprometem o início das obras, que estão previstas para serem executadas neste governo. Nesse sentido, cumprindo o nosso dever constitucional de fiscalizar e acompanhar os atos da administração, estaremos atentos ao cumprimento integral do referido contrato de PPP. Temos feito um grande esforço de aglutinar lideranças na ALMG e no Congresso Nacional para buscar soluções para as demandas da cidade de Divinópolis e de todo o centro-oeste mineiro.

 

2. Os motoristas têm optado por passar pela BR 262, primeiro por causa das boas condições da rodovia e segundo para não ter que pagar pedágio. O que os deputados pretendem fazer para mudar esta situação?

Não respondeu

 

3. Quanto tempo há mais os moradores do bairro Icaraí terão que esperar para que sejam feitas as obras do trevo do Icaraí?

Não respondeu

 

4. Outra questão é a perda que o município tem sofrido em relação a vinda de novas empresas, a exemplo da Coca-Cola que foi para Itabirito e não para Divinópolis, por falta de Logística? Sendo que o município já teve e ainda tem toda a estrutura da empresa no bairro Icaraí, como lidar com isto?

Entendemos que crescimento econômico para o desenvolvimento social é o maior desafio de todos os governos, sendo assim estamos empenhados em propor incentivos fiscais, viabilizar melhorias na infraestrutura da cidade e fomentar mão de obra qualificada a fim de possibilitar novos investimentos na cidade.

 


5. A estrada que corta a cidade de Igaratinga também é uma obra esperada há anos, e irá privilegiar o acesso dos motoristas da região que optam por não pagar o pedágio e preferem passar pela estrada. Neste caso, já foi liberado um recurso para a pavimentação da via que ainda encontra-se no chão batido, e por isto, gostaríamos de saber de nossas autoridades o por que da obra ainda não ter sido feita? 

Não respondeu

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.