segunda-feira, 27 de Outubro de 2014 10:21h Paulo Victor Chagas – Enviado Especial da Agência

Belém comemora com festa reeleição de Simão Jatene

Ao canto do Hino do Pará, uma multidão de eleitores encerrou a comemoração pela vitória do governador Simão Jatene, do PSDB, na região central de Belém

Eram quase 23h, mais de três horas depois da divulgação do resultado do segundo turno, eles ainda promoviam uma verdadeira festa em homenagem a Jatene. O candidato disputava a reeleição com Helder Barbalho, do PMDB, e obteve 51,92% dos votos válidos, contra 48,08% do adversário. Em cima de um palco em uma avenida da região central da capital, Simão Jatene agradeceu à população pelos votos que recebeu e ressaltou a necessidade de haver uma união de forças no estado.

O clima na capital paraense começou a mudar depois que a decisão foi anunciada. Após um dia de votações tranquilas e com poucas ocorrências em todo o estado, o que se via ao redor do palco onde o candidato reeleito discursava eram pessoas animadas, ouvindo e dançando, comprando espetinhos de carne e bebidas de vendedores ambulantes. Em entrevista a jornalistas, após o anúncio do resultado das eleições, o governador conclamou algumas lideranças políticas do estado para que contribuam com o Pará. Jatene reafirmou seu compromisso de campanha de implantar centros regionais de governo para trabalhar administrar de forma descentralizada o estado, que é muito grande em extensão territorial, e admitiu que ajustes devem ser feitos.

“Tenho um princípio de que a todo tempo a gente precisa avaliar acertos e erros. Sem dúvida, a partir dessa avaliação, nós devemos sim reconstruir, rediscutir a própria estrutura organizacional do estado”, disse, completando que, como houve uma preocupação de reequilibrar as contas no primeiro mandato, será mais fácil reordenar a administração.

Aos eleitores que não votaram nele, o governador disse que a “única forma que tenho de indicar e esperar que em outro momento estejamos juntos e próximos é por meio do trabalho, não vejo outra forma de fazer”. Já a seu correligionário Aécio Neves, que perdeu a disputa para a Presidência, Jatene enviou o recado de que ele é um vencedor e que o Brasil precisa ser unificado rumo a uma sociedade mais justa e democrática. “Acho que Aécio é um vitorioso também. E mais do que qualquer coisa o país inteiro reconhece isso”, ressaltou.

Em todo o estado do Pará, 52 urnas tiveram que ser substituídas por problemas técnicos. De acordo com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, Leonardo Tavares, houve 30 ocorrências policiais. O procurador regional Eleitoral, Alan Mansur, informou que 23 pessoas foram presas por crimes eleitorais, entre transporte irregular, compra de votos e boca de urna.

Apenas uma seção eleitoral utilizou o sistema de votação manual, no município de Óbidos, no interior do estado. Segundo Mansur, o problema não interferiu na velocidade de apuração dos votos porque a localidade tinha poucos eleitores. Aqui no Pará, 12% já adota o sistema de identificação biométrica, e neste segundo turno não houve informações de problemas nesse tipo de identificação, de acordo com o presidente do TRE.

O estado do Pará é o único, desde 1990, onde todas as eleições para governador foram decididas apenas no segundo turno.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.