segunda-feira, 6 de Outubro de 2014 09:24h Atualizado em 6 de Outubro de 2014 às 09:41h. Pollyanna Martins

Cadastramento biométrico forma filas enormes nos colégios eleitorais de Divinópolis

Os pouco mais de 152 mil eleitores divinopolitanos, que estavam acostumados a ficar cerca de dez minutos na fila para votar, este ano tiveram uma surpresa desagradável

Devido às enormes filas que se formavam nas seções eleitorais, a espera para eleger seus candidatos chegou a três horas em alguns locais de votação.
A Escola Estadual Martin Cyprien (Polivalente), é o maior colégio eleitoral de Divinópolis, com pouco mais de 5 mil eleitores, que votam nas 17 seções. A dona de casa, Maria das Graças da Silva Santos, se assustou com o tamanho da fila quando chegou às 9h30min, para votar. “Eu olhei a fila e achei que ela estava pequena, mas quando eu olhei [de novo], estava dando voltas. Agora são 13h30min, ainda não votei e não sei que horas vou sair daqui. Tem gente aqui que está sem almoço e muita gente que foi embora porque não teve como esperar mais”, reclama.
Os eleitores alegaram que o problema estava no reconhecimento biométrico. Alguns eleitores tiveram que tentar o reconhecimento pela digital mais de oito vezes. Cansada da demora, a autônoma, Maria Aparecida, chamou um dos fiscais para saber o motivo da lentidão. “Tem mais de três horas que eu estou na fila e não sei quanto tempo eu vou ficar ainda. Eu só espero que se tiver um segundo turno, ou nas próximas eleições, a gente não tenha este problema. No sistema antigo era mais fácil, esse novo sistema é muito demorado”, lamenta.
O coordenador do colégio eleitoral do Polivalente, Flávio Eustáquio Rodrigues, informou que as filas foram maiores na parte da manhã e reforçou que os transtornos foram devido ao sistema biométrico. “[O reconhecimento biométrico] dificultou um pouco na parte da manhã, até o entendimento do processo, mas aos poucos vai normalizando. Em algumas seções a dificuldade é maior”, explica.
Ainda de acordo com o coordenador, durante a manhã e até às 14h a votação estava tranquila, sem ocorrências. Os eleitores que chegaram antes das 17h receberam senha para votar depois do horário.

 

 

 

CANSAÇO
As longas filas também se formaram na Escola Estadual Manoel Corrêa Filho. A escola tem doze seções eleitorais, com 4.241 eleitores aptos a votar. O publicitário, Guilherme Rabelo da Silva, reclamou do atraso causado pelo sistema biométrico. “Na verdade está tendo algumas falhas nas máquinas que reconhecem as digitais e isto está gerando confusão, está demorando demais a votação de cada pessoa. O pessoal está começando a ficar revoltado, porque tem gente que está aqui sem almoço, porque são mais de 14h. Eu cheguei aqui 12h30min e vou ficar até conseguir votar para não ser penalizado”, conclui.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.