quarta-feira, 14 de Novembro de 2012 04:08h Atualizado em 14 de Novembro de 2012 às 04:10h. Carla Mariela

Câmara analisa orçamento até dezembro

De acordo com o presidente do Legislativo, a Câmara é um portal de cidadania, ela é uma caixa de ressonância e todos os assuntos que são tratados na Casa, tem também um impacto na sociedade.

Durante reunião Ordinária na Casa Legislativa, às 14hs, em pronunciamento, o presidente, Anderson Saleme (PR), afirmou que Divinópolis foi notícia nacional devido os problemas que está enfrentando após redução nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e sobre o impacto que isso trouxe para a população divinopolitana. A Câmara recebeu alguns telefonemas e críticas, que para Saleme não são justas, uma vez que não tem o poder de gestão do órgão Executivo.

 


A partir da notícia, dos telefonemas e críticas, Saleme, decidiu em reunião com os demais vereadores, e em seguida com o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) e secretários buscar sugestões de melhorias para a cidade, entre elas, o repasse que a Câmara recebe, e que está sendo analisado para que o excedente seja devolvido para a Prefeitura até dezembro.
De acordo com o presidente do Legislativo, a Câmara é um portal de cidadania, ela é uma caixa de ressonância e todos os assuntos que são tratados na Casa, tem também um impacto na sociedade. As áreas da saúde,educação, administrativa, conforme Saleme, elas merecem uma atenção especial.

 


“Nós da Câmara como coogestores do Município, temos que nos preocupar, alertar e fiscalizar as ações do Executivo. A mesa diretora, eu, junto com Edmar Rodrigues e Rodyson do Zé Milton, e agora o vereador Antônio Paduano que ocupa o lugar do falecido e saudoso,  vereador Milton Donizete e os demais vereadores estamos preocupados, cada um da sua forma tem contribuído para que apontemos uma solução ao Executivo. Não é fácil, pois nós estamos chegando em um momento agudo. Esses dois meses são de contenções, serão de dificuldades, mas precisamos preservar o serviço público: a saúde, a educação, a assistência social. Não podemos fechar todas as portas, precisamos ter a atenção, ter o respeito com as medidas”, declarou.

 


Ainda segundo, Anderson Saleme, ele e os vereadores irão sugerir para Vladimir Azevedo, algumas questões, as quais trarão melhorias para o Executivo nesse fim de ano. Ele abordou que a Câmara recebeu uma parte do orçamento municipal, sendo que essa parte orçamentária está sendo analisada, uma vez que é uma forma de economia para que seja devolvida uma quantia importante em dezembro, para o auxiliar na normalização da situação financeira do município.
Durante o seu discurso em plenário, Saleme, acrescentou que a Câmara está bem administrativamente, está com a saúde financeira perfeita, sem nenhum sinal de crise e descontrole. O poder Legislativo quer dividir com o Município essa responsabilidade, mas para isso, Saleme disse ser importante que a Câmara tenha a oportunidade de conhecer a fundo sobre o problema, saber com mais detalhes sobre o que realmente está acontecendo com Divinópolis.
“Nós precisamos ouvir do Executivo, do prefeito, dos assessores, dos seus secretários, qual é a real situação em que o Município se encontra. Estamos fazendo o estudo para que possamos propor ajuda ao Poder Executivo, porque a crise instalada é uma crise que está ocorrendo em muitos Municípios, mas Divinópolis não pode ser igualada com Municípios menores. Eu quero saber quais os próximos passos para que a Câmara também contribua. Há poucos dias Divinópolis foi matéria em  jornal de audiência nacional e lá foi mostrado como Divinópolis está e isso trouxe certo desgaste para nós que recebemos telefonemas e críticas, que infelizmente não são justas porque não temos o poder de gestão do órgãoExecutivo”, ressaltou.

 


Anderson Saleme reforçou à Gazeta do Oeste que está em contato com os principais secretários da Prefeitura para ouvir deles as razões que levaram a esta situação delicada na qual a Prefeitura encontra-se, e ver quais horizontes estão sendo vislumbrados e quais propostas de ação serão implementadas. “A Câmara tem um papel importante no equilíbrio do município, os vereadores precisam ser mais ouvidos pelos gestores e, com certeza, podem contribuir muito para superação destas dificuldades”, relatou.

 


Ele encerrou dizendo que em relação a forma da Câmara contribuir para o equilíbrio das finanças da Prefeitura, primeiramente, ela vai atuar por meio dos seus parlamentares, em várias frentes como a análise, discussão e votação dos projetos enviados por eles; na fiscalização de suas ações e gestão dos recursos públicos; na sugestão de ações que possam reduzir ou resolver alguns pontos que precisam melhorar e, também, há esse estudo de devolver parte dos recursos economizados para que eles coloquem os Convênios em dia e as entidades e funcionários possam honrar seus compromissos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.