segunda-feira, 6 de Junho de 2011 09:15h Flávia Brand?o

Câmara foi palco de agressões verbais e acusações com o uso da Tribuna Livre

Presidente do Legislativo lamenta o fato ocorrido em Nota Oficial

A Câmara Municipal de Divinópolis serviu como palco na última quinta-feira (2) para acusações e difamações proferidas pelo cidadão José Venâncio, que utilizou a Tribuna Livre, agredindo verbalmente o vereador Edson Sousa (sem partido). O cidadão afirmou que o vereador Edson, na época em que era presidente da Câmara, em 2007, através de seu assessor Roberto Clementino, ofereceu vantagem a José Venâncio para preenchimento de cargos na Copasa e em troca o cidadão não seria contra a intenção do governo Demetrius de entregar o tratamento do esgoto para a Copasa. Venâncio afirmou ainda que tem gravações das negociações.  Na reunião, o vereador Edson Sousa negou veemente as acusações, afirmou que o tribuno é um mentiroso, pediu a prisão  do mesmo por desacato a autoridade e disse que suspeita que haja algo por trás destas acusações.


O presidente da Câmara, Pastor Paulo César (PRB) em Nota Oficial lamentou o fato ocorrido no Plenário “Dr. Zózimo Ramos Couto” e suspendeu, por tempo indeterminado, o cidadão José Venâncio, para se expressar na Tribuna “Ivan Pereira”. A medida foi baseada no Regimento Interno, devido ao desacato e agressões verbais desferidas pelo cidadão José Venâncio contra o parlamentar. Ainda em nota o presidente afirmou que a Tribuna Livre é reservada aos cidadãos para se manifestarem sobre assuntos de interesse da comunidade durante a realização da Reunião Ordinária sendo parte integrante do processo legislativo oficial e não pode ser utilizado para ofender as autoridades constituídas e eleitas pelos munícipes.


O presidente ressaltando ainda em seu comunicado oficial que todos podem se expressar, mas, com respeito e ordem, não com acusações levianas e mentirosas e afirmou que os demais parlamentares, em solidariedade ao vereador Edson Sousa, que foi desacatado pelo tribuno, lamentaram o ocorrido.


O ex assessor de Edson Sousa na época, Roberto Clementino, que foi acusado por Venâncio de ser o responsável por realizar a negociação afirmou com exclusividade à  Gazeta Oeste que não tem nada a declarar no momento sobre as denúncias levantadas, visto que a Câmara irá fazer uma CPI para apurar os fatos, onde tudo será esclarecido, mas afirmou que queria fazer uma observação importante para a população de Divinópolis: “O vereador Edson Sousa pelo que vivi, durante um ano, na assessoria dele como presidente do Legislativo, eu o considero uma pessoa honesta  e não podemos permitir que essa honestidade seja maculada , uma vez que o Edson faz uma oposição ao governo muito importante para o equilíbrio da democracia em Divinópolis”, ressaltou. Clementino afirmou ainda que irá aguardar o conteúdo das fitas que Venâncio afirma ter para se pronunciar. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.