sábado, 8 de Fevereiro de 2014 04:14h Mariana Gonçalves

Campanha “cidade limpa e sem dengue” é realizada

A Secretaria de Obras da prefeitura de Carmo do Cajuru, por meio da Vigilância Sanitária está realizando a campanha “cidade limpa e sem dengue”.

Conforme o secretário de Obras, Domingos Mesquita, já foram atendidos dentro do projeto os bairros Jardim Alvorada, São Luis, Adelino Mano, Bonfim, Cidade Industrial, São José dos Salgados, Cidade Jardim, Cidade Nova I e II, Nossa Senhora do Carmo e Prolongamento Sport. Nessas regiões equipes da prefeitura percorreram com um caminhão, para retirar da rua e lotes vagos materiais como garrafas e pneus. Hoje a ação de limpeza irá ser realizada nos bairros Tupy, Vitória, Alto do Lago e Centro.
Mesquita explica que além de recolher das ruas materiais que futuramente possam vir a afetar a saúde da população, a prefeitura está providenciando a limpeza dos lotes vagos cujo proprietário é o município. “Temos uma lei em vigência que dispõe sobre o dever do cidadão de manter o seu lote limpo, mas, não adianta nada cobrar essa responsabilidade da população se a prefeitura tem terrenos na cidade que estão sujos, então nessa primeira etapa de trabalhos estamos priorizando a limpeza daquilo que pertence ao município” afirma.
É comum em algumas cidades o poder executivo por meio de uma notificação chamar a atenção dos cidadãos para a limpeza dos lotes vagos, sendo estes de sua propriedade. Mas, muitas das vezes por parte dos donos do local o processo de cuidados pode demorar acontecer. Sendo assim, o secretário de Obras diz que pretende junto a outras autoridades da cidade tentar uma solução para que os terrenos não passem meses com um grande volume de sujeira. “Pretendo na terça-feira (11) ir à Câmara para que junto do poder legislativo consiga encontrar um mecanismo que agilize as ações de limpeza dos lotes vagos aqui na cidade. Se houver possibilidades e a lei permitir sugiro que o cidadão pague uma taxa aos cofres públicos para que quando ocorrer a notificação, ao invés do proprietário se mobilizar para esta limpeza (que normalmente é um processo demorado), a prefeitura faça esse serviço, mas ainda vamos estudar essa questão por enquanto essa é só uma possibilidade” completa Mesquita.
A limpeza da cidade não depende somente do poder público, por isso o secretário destaca a importância da ajuda da população para que ações da prefeitura tenham maior êxito. “Pretendemos a curto prazo fazer um planejamento junto a Vigilância Sanitária para chamar a população a nos ajudar. Ainda estamos formulando, mas a intenção é criarmos informativos para divulgar entre a população. É importante também que os cidadãos não despejem lixo em locais impróprios, a coleta seletiva é realizada em toda a cidade às terças e quintas-feiras” encerra.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.