segunda-feira, 7 de Novembro de 2011 10:20h Flávia Brandão

Candidatos a Presidência do Legislativo Municipal opinam sobre atual administração

Qual o perfil que futuro presidente da Câmara Municipal deverá ter em 2012?

Em 2013, a Câmara Municipal de Divinópolis passará a ter 17 vereadores, sendo que as mudanças e adaptações para receber esse aumento deverão ser efetivadas já em 2012 pelo futuro presidente do Legislativo. O processo para escolha do vereador que será o responsável pela gestão das finanças da Casa no tão esperado Centenário já teve início desde setembro e a configuração de cinco candidatos - Adair Otaviano (PMDB), Beto Machado (PSDB), Anderson Saleme (PR), Milton Donizete (PRTB) Pastor Paulo César (PRB) - se mantém como já noticiado pela Gazeta do Oeste. Nossa reportagem questionou qual deverá ser o perfil do futuro presidente em 2012, já que mudanças serão prioritárias.


Além disso, a reportagem apurou qual a evolução do processo na busca de apoio parlamentar no sentido de se firmarem como o melhor candidato à presidência e a opinião sobre a atual administração levando em conta que o Legislativo Municipal vive hoje transtornos que colocam em xeque a gestão. A exemplo uma portaria que está em vigor para contenção de despesas desde setembro e o recente embate entre vereadora e servidora, que recai sobre a figura do presidente.   


Beto Machado (PSDB), que tem o apoio declarado do deputado Fabiano Tolentino (PSD) disse que ainda não conversou com o colega Milton Donizete (PRTB) - que é da base política do deputado - no sentido de construir uma composição. Relativo à atual administração e a tentativa a reeleição, Beto Machado - apesar de ponderar que não poderia fazer juízo de valores da administração - considera que o atual presidente “não teve sorte” e infelizmente teve muitas dificuldades a serem enfrentadas durante esse ano. “Acho que em relação a sua administração ele não teve sorte, foram várias situações que trouxeram uma turbulência muito grande e já resquícios da própria eleição da mesa no ano passado, em que houve a divisão da Câmara Municipal”, declarou.


Tensão


Beto avaliou ainda que atual administração foi iniciada com uma “certa tensão” e deseja que isso não ocorra novamente agora nas eleições da Mesa para 2012. “A administração iniciou tensa e infelizmente todas essas questões polêmicas de certa trouxe para ele, no meu entendimento um desgaste na sua administração”, avaliou Beto, que 2010 foi candidato a presidente do Legislativo.


Anderson Saleme (PR) disse que todos os vereadores “potencialmente” podem ser candidatos e a questão do atual presidente Pastor Paulo (PRB) querer se reeleger é um direito que lhe cabe. “Se ele conseguir fechar uma chapa e conseguir o número de votos, ele tem todas as chances”, disse.  Em entrevista anterior ao Jornal Gazeta, Saleme, que é atualmente vice-presidente, afirmou que abriria mão da presidência, caso o Pastor Paulo César tentasse a reeleição. No entanto, agora o edil parece não está disposto a sair da disputa alegando que não tem conhecimento - apesar de Paulo César já ter confirmado a imprensa - que o atual presidente irá tentar se reeleger. “A questão da minha candidatura está mantida nós estamos aguardando é que o processo se desenvolva mesmo. Não tenho essa notícia que existem outros candidatos. O que consta até agora são quatro candidatos e estamos esperando o processo desenvolver. Poderei ser candidato ou não dependendo do apoio que conseguir entre os colegas”, declarou


Expectativa


Milton Donizete afirma que tem ainda expectativa de sair candidato a presidente da mesa em um consenso dentro do grupo  de Tolentino na Casa. “Ainda tenho expectativa de ser o candidato do grupo também”, disse. O vereador não é a favor da reeleição do atual presidente. “O Pastor teve o mandato de um ano, no futuro ele tem que ter a chance como eu tentei a minha novamente. Mas ele já foi esse mandato e no ano que vem tem que ser uma pessoa diferente ou eu, o Beto, Anderson, Adair ou qualquer outro para dar oportunidade para os que não foram nesse mandato”, avaliou.
Adair Otaviano (PMDB) disse que avançou no processo estabelecendo diálogos com a vereadora Heloisa Cerri (PV), Edson Sousa (PSB) e seu colega de partido Hilton de Aguiar.  O edil disse que na ultima eleição da mesa votou em Beto Machado e até hoje nunca fez nenhuma critica a atual mesa diretora. Nesse sentido, ele disse que irá manter a mesma postura e não quis falar a respeito da administração de Paulo César.


Perfil futuro presidente


Para  Beto Machado o futuro presidente, deverá ser de “muita responsabilidade” já que o Centenário irá ter muitas comemorações e será momento de preparar o Legislativo Municipal para receber o aumento de cadeiras. “Será preciso programar a Casa para próxima legislatura para enfrentar questões de enxugamento da própria máquina administrativa e no nosso entendimento está havendo um tanto quanto de gorduras. Para que essas mudanças sejam  feitas sem trazer transtornos e cicatrizes se faz necessário pulso e ao mesmo tempo conhecimento de legislatura, legislação, conhecimento jurídico e acima de tudo bom senso”, avaliou Beto.


Já Anderson avaliou que toda administração tem “sua postura” e forma de gestão. “Entendemos que atual mesa vem fazendo um bom trabalho”, disse. Sobre o perfil do futuro presidente, o parlamentar considera que disputa da mesa diretora é muito complexa e precisa ter as características de um bom gestor, que escute seus pares e tenha bastante convicção nas decisões tomadas. 


Para Milton o futuro presidente terá que ter um “punho forte” diante das adaptações que terão que ser feitas. “Terá que começar a fazer uma economia porque a Câmara recebe mais gasta com funcionários, enfim com toda a administração. O presidente já vai ter que chegar e fazer um tipo de economia para colocar a casa em ordem para o próximo mandato” declarou.


Adair afirma que o futuro presidente deverá estar focado em deixar a “casa organizada” para 2013 para receber o aumento de vereadores.  Hoje, o parlamentar fala que ainda não é certa o montante da arrecadação que será destinado ao Legislativo. “Sabemos que o percentual é 6% a arrecadação poderá cair ou subir não sabemos ainda, mas desde o inicio o futuro presidente deverá focar na organização das finanças”, declarou. 


A reportagem tentou vários contatos com o presidente do Legislativo, Pastor Paulo César, para que o mesmo se posicione a respeito da reeleição e comentasse o trabalho, que vem desenvolvendo a frente da Casa, no entanto não obtivemos êxito. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.