sexta-feira, 7 de Novembro de 2014 04:16h Jotha Lee

Candidatos com base eleitoral em Divinópolis fecham prestações de contas de campanha

Domingos Sávio lidera gastos com mais de R$ 1,9 milhão

Até as 19h da terça-feira passada – último dia para entrega e validação das prestações de contas de campanha de candidatos, partidos políticos e comitês financeiros das Eleições 2014 – o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE) registrou o envio e a validação de 1.360 prestações de contas, o que corresponde a 69,9% do quantitativo esperado (1.945 prestações de contas, segundo dados atualizados do TSE). Todos os candidatos a governador e a senador em Minas enviaram e validaram suas prestações de contas junto ao Tribunal.
Ao todo, 1.868 prestações de contas foram enviadas pela internet, mas 508 desse total chegaram ao final do dia sem que candidatos, partidos e comitês financeiros comparecessem ao TRE para validar a documentação – sendo consideradas contas não prestadas. A validação não significa qualquer análise das contas apresentadas, procedimento que será iniciado agora pela área técnica do Tribunal. Todas as contas dos candidatos a governador, senador e a deputados serão objeto de apreciação pelos magistrados da Corte Eleitoral mineira. No caso dos candidatos a presidente, cabe ao TSE o julgamento.
Independentemente de outras sanções por terem perdido o prazo, os partidos políticos e os candidatos que não efetuaram os procedimentos necessários previstos na legislação eleitoral vão ser notificados pelo TRE, em até cinco dias, para que apresentem a prestação de contas no prazo máximo de 72 horas após o recebimento da notificação. Após esse prazo, permanecendo a omissão, as contas vão ser julgadas como não entregues. O candidato omisso fica impedido de obter certidão de quitação eleitoral e, caso eleito, não poderá ser diplomado. Para o partido que deixar de apresentar as contas, a sanção prevista é a perda do direito ao recebimento da quota do Fundo Partidário do ano seguinte ao trânsito em julgado da decisão.
Além das sanções aplicáveis, as contas desaprovadas ainda podem ser objeto de investigação judicial pelo Ministério Público, com o objetivo de apurar uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade.

 

 

DIVINÓPOLIS
Dos 14 candidatos com base eleitoral em Divinópolis, apenas Daniel Simião, candidato a deputado federal pelo PV, não enviou a prestação de contas. Os demais cumpriram o prazo conforme a determinação da Justiça Eleitoral. De acordo com os dados que já estão disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), entre os candidatos divinopolitanos, a campanha mais cara foi de Domingos Sávio (PSDB), que custou mais de R$ 1,9 milhão, seguido por Jaime Martins (PSD) com gastos superiores a R$ 1,7 milhão
Entre os candidatos a deputado estadual de Divinópolis, a campanha mais cara foi de Fabiano Tolentino (PPS), que gastou R$ 596 mil para garantir a reeleição. A seguir aparece o ex-prefeito de São Gonçalo do Pará, Ângelo Roncalli (PR), cuja campanha superou R$ 357 mil.
Campanhas humildes, em relação a custos, foram feitas pelos candidatos do PSOL. Jorge Torquato, que concorreu a deputado federal protegido por um recurso por ter sido atingido pela Lei da Ficha Limpa, gastou R$ 3,2 mil. Rogério Pinto, candidato a deputado estadual, também consumiu apenas R$ 3,1 mil na campanha.

 

Veja o balanço final dos candidatos de Divinópolis nas Eleições 2014
CANDIDATO CARGO PARTIDO DESPESA VOTAÇÃO SITUAÇÃO
Domingos Sávio Federal PSDB R$ 1.962.407,99 143.901 Eleito
Jaime Martins Federal PSD R$ 1.795.899,53 158.907 Eleito
Daniel Simião Federal PV - 645 Não eleito
Marcus Fressati Federal PSL R$ 6.514,90 628 Não eleito
Jorge Torquato Federal PSOL R$ 3.240,00 10.500 Inelegível
Adair Otaviano Estadual PMDB R$ 94.502,52 10.145 Não eleito
Anderson Saleme Estadual PR R$ 144.567,74 12.671 Não eleito
Ângelo Roncalli Estadual PR R$ 357.654,09 14.400 Não eleito
Edson Sousa Estadual PTC R$ 40.831,65 4.201 Não eleito
Eliana Piola Estadual PT do B R$ 135.223,75 5.433 Não eleita
Fabiano Tolentino Estadual PPS R$ 596.204,60 62.776 Eleito
Heloisa Cerri Estadual PV R$ 113.193,94 7.548 Não eleita
Rinaldo Valério Estadual PTN R$ 73.165,87 16.324 Não eleito
Rogério Pinto Estadual PSOL R$ 3.100,00 320 Não eleito
Fonte: TSE

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.