quinta-feira, 23 de Outubro de 2014 06:20h Atualizado em 23 de Outubro de 2014 às 06:28h. Jotha Lee

Candidatos devem prestar contas até o próximo dia quatro

Domingos Sávio foi o campeão em arrecadação, enquanto Jaime Martins foi líder em gastos

Como em Minas não haverá segundo turno para os cargos de governador e vice-governador, o prazo para que todos os candidatos que concorreram nas eleições desse ano no Estado, bem como os partidos políticos e seus comitês financeiros, apresentem a prestação de contas final da campanha ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) já está correndo e termina no dia 4 de novembro.
Todos os que pediram registro de candidatura estão obrigados à prestação de contas – mesmo que tenham desistido, renunciado, sido substituídos e indeferidos. Os candidatos que não obedecerem ao prazo poderão ter suas contas julgadas como não prestadas e não obterão a quitação eleitoral, podendo ficar impedidos de disputar eleições nos próximos quatro anos, persistindo os efeitos da restrição após esse período até a efetiva apresentação das contas.
Até ontem, nenhum dos candidatos com base eleitoral em Divinópolis havia apresentado as prestações de contas finais. Entretanto, pelas duas parciais obrigatórias apresentadas ainda em campanha, pode-se fazer uma avaliação de quanto cada um gastou na promoção de suas candidaturas. De acordo com as prestações parciais apresentadas até agora, o deputado federal reeleito, Domingos Sávio (PSDB), com R$ 652,4 mil, foi o que mais arrecadou, entre doações de terceiros, recursos próprios e verbas do fundo partidário. Já o que teve o maior gasto na campanha, foi o também deputado federal reeleito, Jaime Martins (PSD), cuja despesa, ainda parcial, atingiu R$ 734,2 mil.
Entre os concorrentes a uma vaga na Assembleia Legislativa, a maior arrecadação foi do deputado estadual reeleito, Fabiano Tolentino (PPS), com R$ 131,4 mil. Já a maior despesa foi verificada na campanha de Ângelo Roncalli, que consumiu R$ 277 mil. Entre os candidatos a estadual, a menor arrecadação foi da médica, Heloisa Cerri, com R$ 16,1 mil, enquanto o menor gasto foi do ex-deputado, Rinaldo Valério, que consumiu apenas R$ 5 mil para promover sua campanha eleitoral.
O TRE alerta aos candidatos, partidos políticos e comitês financeiros para não deixarem para a última hora, já que há a possibilidade dos documentos não estarem corretos e os interessados precisarem refazer a prestação de contas. Segundo a legislação, se houver divergência no número de controle ou qualquer outra falha que impeça a validação das contas pela Justiça Eleitoral, elas não serão consideradas recebidas, ficando a informação de inadimplência relativa à prestação das contas.

 

 

Veja a receita e despesa dos candidatos com base em Divinópolis, na prestação de contas parcial
CANDIDATO PARTIDO CARGO RECEITA DESPESA
Jaime Martins PSD Federal R$ 201.930,00 R$ 734.260,72
Domingos Sávio PSDB Federal R$ 652.400,00 R$ 198.615,27
Fabiano Tolentino  PPS Estadual R$ 131.423,00 R$ 225.347,19
Adair Otaviano PMDB Estadual R$ 30.250,00 R$ 29.215,30
Anderson Saleme PR Estadual R$ 73.240,00 R$ 64.171,53
Ângelo Roncalli PR Estadual R$ 86.285,00 R$ 277.029,10
Edson Sousa PTC Estadual R$ 28.280,00 R$ 28.280,00
Eliana Piola PT do B Estadual R$ 35.410,00 R$ 31.216,75
Heloisa Cerri PV Estadual R$ 16.180,00 R$ 13.920,38
Rinaldo Valério PTC Estadual R$ 25.000,00 R$ 5.087,94

 

 

 

Fonte: TSE
Crédito: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.