domingo, 5 de Outubro de 2014 18:13h André Richter – Repórter da Agência Brasil

Casos de selfies em cabine de votação serão julgados sem pressa, diz TSE

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Toffoli, disse neste domingo (5) que os casos envolvendo eleitores que fizeram selfies (autorretratos fotográficos, tirados geralmente com smartphone ou webcam e postados em redes sociais) dentro da cabine de votação serão julgados sem precipitações pela Justiça Eleitoral.

Durante todo o dia, internautas postaram em suas páginas pessoais nas redes sociais fotos ao lado da urna eletrônica, o que é considerado crime eleitoral, por quebrar o sigilo do voto.

Em entrevista coletiva para divulgação do balanço final das eleições em todo o país, Toffoli explicou que a orientação da Justiça Eleitoral era para que o eleitor fosse proibido de usar celulares dentro da zona eleitoral para resguardar o sigilo do voto e para evitar que coação. No entanto, os casos precisam ser investigados, disse o ministro.

"Ninguém sabe se esse selfie é dessas eleições, se é de outra, se foi tirado em uma urna verdadeira, ou não. Não podemos prejulgar nada. Vamos julgar isso no devido tempo, com a devida calma, sem precipitações, enfatizou.

Durante a votação, vários internautas divulgaram nos perfis pessoais fotos em que mostravam os números que digitaram e a foto dos candidatos. Um vídeo foi postado, mostrando desde o momento em que o número do candidato a presidente foi pressionado até a confirmação do voto.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.