quinta-feira, 23 de Junho de 2011 09:01h Liziane Ricardo

Coletiva com o prefeito Vladimir Azevedo

Passarela do Candelária poderá ser subterrânea

Vladimir será empossado na Frente Mineira de Prefeitos em agosto

 

Contemplando seus 901 dias de governo à frente da Prefeitura Municipal de Divinópolis, Vladimir Azevedo (PSDB) convocou ontem (22) um café da manhã com a imprensa para responder questões como: sua posse na Frente Mineira de Prefeitos, o projeto de duplicação da MG 050 e audiências públicas do esgoto.


Dentre os assuntos pautados pela reportagem da Gazeta do Oeste, o prefeito pontuou sobre a importância de ter sido chamado pela maioria dos prefeitos do PT para compor a frente mineira. O tucano que já passou pela diretoria da Frente Nacional de Prefeitos e também por já ter sido premiado ‘Prefeito Empreendedor’, sente que esta será mais uma etapa de aprendizado político. “Vários prefeitos me incentivaram a assumir a Frente Mineira e dar uma nova oxigenada no grupo, podendo então abrir um interlocução com o governo do Estado e com as entidades municipalistas dada a nossa ligação com o governador Anastasia”, disse Azevedo.


O prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda (PSB) se colocou como vice de Vladimir na Frente Mineira de Prefeitos, portanto, na última terça-feira (21) o tucano esteve reunido na capital mineira para acertar os últimos detalhes da sua posse. A data já foi marcada para o dia 11 de agosto, por volta das 15horas, e a solenidade será na cidade de Ouro Preto, dentro das comemorações de Tricentenário da cidade na presença do governador Antônio Anastasia (PSDB). A Frente tem como foco as cidades polo acima de 35 mil habitantes, e na posição de presidente Azevedo, irá articular junto aos demais prefeitos mineiros durante as reuniões itinerantes.

 

 

DUPLICAÇÃO DA MG 050


O projeto de duplicação da rodovia MG 050 foi o segundo ponto abordado pelo Chefe do Executivo, e conforme análise do tucano, o cronograma previsto para final de 2011 e início de 2012 deverá ser cumprido mediante ao contrato com a Nascentes das Gerais. “Durante a reunião já identificamos alguns problemas que precisam ser superados no contrato entre a concessionária e o Estado, do qual tentaremos agilizar, a exemplo do que foi provisionado no contrato em referente às desapropriações”, revelou. O prefeito explicou que o valor que a concessionária teve que desembolsar para as desapropriações foi superior ao previsto, e isto deve ser equilibrado entre a empresa e o Estado.


Uma preocupação que o município tem é em relação as interseções que serão feitas em toda a tangente municipal, abrangendo desde o bairro São Caetano até as proximidades dos bairros Jardim Real e Quintino. “Mas ainda temos algumas discussões a fazer em relação a harmonização da cidade com a rodovia, tendo em vistas as entradas de bairros e passagens de pedestres. E a passarela do Candelária foi colocada como ponto de honra em meu mandato como prefeito, o qual não está no projeto original, mas que já estamos exigindo da concessionária”, frisou.


O modelo projetado para a construção da passarela no bairro Candelária, segundo o prefeito será subterrânea, sendo aproveitada a topografia da rua Pitangui com iluminação e segurança para os pedestres e moradores da região do Candelária, Jardim das Oliveiras e prolongamento do Bom Pastor.


A concessionária irá tratar as obras densas, e naquela região próxima ao bairro Icaraí onde hoje passa a rodovia, será transformado em rua municipal. A rodovia será duplicada e direcionada num ângulo de 45° próximo ao Clube AABB, passando pelo conjunto Lagoa dos Mandarins, e ainda será duplicada em curto prazo a ponte próxima à Indiana Calçados, atingindo ainda o trevo do bairro Vila Romana. Para a próxima semana será agendada junto aos deputados representantes de Divinópolis, uma visita do prefeito Vladimir ao Secretário de Trânsito e Transportes de Obras Públicas de Minas Gerais, Carlos Melles para que sejam colocadas as intervenções do município. 

 

AUDIÊNCIAS PÚBLICAS


Na oportunidade da entrevista, em relação às Audiências Públicas agendadas pela Câmara Municipal, o prefeito esclareceu que poderão ter um teor elucidativo para que a população possa entender um pouco mais sobre o contrato fechado com a Copasa. “Espero que estas audiências da Câmara, não sejam um picadeiro, como aconteceu durante a discussão do aterro sanitário ocorrida no bairro Candelária, onde fizeram um teatro e não deixaram que fosse explicado o projeto”, lembrou Azevedo. Contudo, o tucano ressaltou que a Audiência Pública Jurídica já foi realizada e o cronograma é lastreado ao contrato, sem chances de revogação.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.