terça-feira, 20 de Outubro de 2015 09:34h Atualizado em 20 de Outubro de 2015 às 09:39h. Jotha Lee

Comissão de ética finaliza relatório que investiga vereador Hilton de Aguiar

Comissão de ética finaliza relatório que investiga vereador Hilton de Aguiar

A Comissão de Ética da Câmara Municipal de Divinópolis já concluiu o processo disciplinar instaurado contra o vereador Hilton de Aguiar (PMDB), faltando agora somente a conclusão do relatório para que o caso seja encerrado. Hilton de Aguiar foi acusado de quebra de decoro pelo Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sintram), depois de uma série de pronunciamentos feitos em plenário, nos quais atacou duramente o médico plantonista da UPA 24h, Alberto Gigante Quadros.
Inicialmente o presidente da Câmara, Rodrigo Vasconcelos de Almeida Kaboja (PSL), havia ignorado uma representação apresentada pelo Partido dos Trabalhadores, que havia feito o mesmo pedido. Ao contrário de nomear a Comissão de Ética, o pedido do PT foi encaminhado à Comissão de Saúde, que não fez nenhum tipo de investigação. No dia 23 de junho, o Sintram formalizou novo pedido para que a Comissão de Ética fosse acionada.
Em agosto, quase um mês depois da representação impetrada pelo Sintram, Rodrigo Kaboja nomeou a Comissão de Ética, que imediatamente instaurou o processo disciplinar. Ontem o presidente da Comissão, Oriosmar Pinheiro, o Careca da Água Mineral (PROS), informou que se dependesse de sua vontade, essa investigação já estaria concluída. “Já fiz quatro pedidos ao relator para que conclua o relatório e ele prometeu que até amanhã [hoje] vai finalizar sua conclusão”, afirmou.

 

INVESTIGAÇÃO
Segundo o presidente da Comissão, a investigação foi feita com base em documentos, já que toda a denúncia formulada pelo Sintram foi baseada nos pronunciamentos feitos pelo vereador em plenário. “Como tudo está gravado aqui na Câmara, não houve necessidade de interrogatórios e as investigações foram baseadas na documentação que nos foi entregue”, revelou. Careca da Água disse ainda que o relator no processo administrativo, Rodyson Kristinamurt (PSDB), prometeu estar com o relatório concluído hoje. “O relatório sendo fechado, vamos apresentá-lo na reunião de quinta-feira”, garantiu.
A rusga envolvendo o vereador e o médico começou em abril, quando Hilton de Aguiar iniciou uma série de ataques contra Alberto Gigante, alegando que ele não cumpria sua função como plantonista da UPA. Em seus pronunciamentos, o vereador atacou o médico que foi classificado como um “péssimo profissional, preguiçoso e que trata mal os pacientes”. Em outros pronunciamentos, o vereador foi mais longe e afirmou que Alberto Gigante é “o pior médico que existe, covarde, profissional de quinta categoria, ultrapassado, baderneiro, maçã podre, oportunista”, entre outros ataques à honra do profissional.
Hilton de Aguiar corre o risco de perder o mandato, caso a Comissão de Ética considere o inciso II, do artigo 46, do Regimento Interno (RI), que diz estar sujeito à perda do cargo o vereador “cujo comportamento for declarado incompatível com a ética e o decoro parlamentares”. Entretanto, isso só ocorrerá se a Comissão de Ética, concluir através de o processo disciplinar que está sendo concluído, que ele violou essas regras em seus pronunciamentos contra Alberto Gigante.
Já de uma advertência por escrito, o vereador não escapa, a menos que o RI seja ignorado. De acordo com o inciso III, do parágrafo 2º, do Artigo 52 do RI, o vereador será advertido por escrito se “praticar, nas dependências da Câmara, ofensas físicas ou morais contra qualquer pessoa ou desacatar, por atos ou palavras, a outro vereador, a Mesa Diretora ou comissão ou respectivos presidentes, ou o plenário”.

 

Créditos: Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.