sábado, 27 de Outubro de 2012 04:00h Gazeta do Oeste

Comunista lidera com folga em Contagem

Na briga entre dois aliados históricos pelo terceiro colégio eleitoral de Minas Gerais, o PCdoB deve levar a melhor com folga neste domingo. A última pesquisa do Insituto MDA em parceria com o Estado de Minas mostra o deputado estadual Carlin Moura (PCdoB) com 61,2% das intenções de voto dos eleitores de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, enquanto o adversário, Durval Ângelo (PT), colega de Assembleia, tem 25,8% da preferência. No levantamento – com registro MG 01239/2012 –, 7,2% dos entrevistados declararam votar em branco ou nulo e 5,8% se disseram indecisos.

Na simulação dos votos válidos, que representa o resultado oficial do Tribunal Regional Eleitoral e exclui os votos brancos e nulos, Carlin Moura tem 70,3% das intenções de voto contra 29,7% de Durval Ângelo. Considerando a margem de erro de 4,4 pontos percentuais da pesquisa para mais ou para menos, Carlin pode ter entre 66,3% e 74,3%. Já Durval está entre 25,7% e 33,7%.

Para o diretor do Instituto MDA, Marcelo Costa Souza, é praticamente certa a eleição de Carlin em Contagem. “A vantagem dele é muito grande e a definição de votos dos seus eleitores é bem maior que a de Durval. Há uma pequena margem para mudança, mas todos os números o favorecem. A expectativa é de que Carlin seja eleito com tranquilidade”, afirmou. Segundo o pesquisador, o comunista se beneficiou da rejeição dos eleitores do PSDB ao PT, conquistando os votos que, no primeiro turno, eram do ex-prefeito Ademir Lucas (PSDB).


Em 7 de outubro, Carlin chegou à disputa de segundo turno na frente, com 37,8% dos votos válidos. Durval teve 31,3% e Ademir Lucas 25,4%. Em três semanas de campanha, o comunista conseguiu ampliar a diferença e conquistar eleitores mais fiéis. Dos entrevistados que dizem votar em Carlin, 89,6% colocam a escolha como definitiva e 10,4% ainda podem mudar. Já entre os eleitores de Durval, 77,7% afirmam estar convictos e 22,3% consideram a possibilidade de ter outra decisão.


Na pesquisa espontânea, em que não são colocados os nomes dos candidatos, Carlin Moura foi apontado como preferido por 57,1% dos eleitores de Contagem enquanto Durval Ângelo ficou com 22,9% das intenções de voto. Outros 8,2% declararam votar em branco ou nulo e 11,3% disseram estar indecisos. Entre as eleitoras, 59,2% preferem Carlin e 25,5% optam por Durval. Os votos dos homens se dividem assim: 63,6% para o comunista e 26,3% para o candidato do PT.


De acordo com o levantamento, Carlin vence em todas as faixas etárias com pelo menos 50% dos votos em cada. A maior diferença está entre os eleitores com idade entre 35 e 44 anos, na qual a diferença a favor do comunista é de 52,9 pontos percentuais. O candidato do PCdoB também conquistou mais da metade dos eleitores em todas as faixas de renda familiar. Em relação à escolaridade, Durval perde nos três níveis, com uma diferença maior, de 37,4 pontos percentuais, entre os eleitores com ensino fundamental.


O cenário é resultado de uma disputa acirrada de segundo turno, em que Carlin Moura conseguiu apoio do Palácio da Liberdade, que havia perdido o primeiro turno com a candidatura de Ademir Lucas, e de outras lideranças de Contagem. Durval Ângelo teve o apoio da prefeita Marília Campos (PT) e dos caciques do seu partido: a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.