sexta-feira, 22 de Julho de 2011 09:40h Atualizado em 22 de Julho de 2011 às 09:43h. Liziane Ricardo

Concessão de Porto Seco para Divinópolis

Governo de Minas se compromete a indicar Divinópolis para concessão de Porto Seco,secretária Dorothea Werneck sinalizou que irá lutar contra o lobby de RJ, SP e ES que impedem novas concessões.

Divinópolis e Montes Claros serão as duas cidades indicadas pelo Governo de Minas Gerais na reivindicação de novas concessões de portos secos ao Governo Federal (Estações Aduaneiras do Interior – Eadis). A informação foi repassada, ontem (21), pelo secretário adjunto de Fomento Econômico da Prefeitura de Divinópolis, José Elísio, como um dos resultados positivos da reunião ocorrida, nessa semana, com a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck, em Belo Horizonte, a qual contou com a presença do prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), deputado estadual Fabiano Tolentino (PRTB), do secretário de Fomento Econômico da Prefeitura Dárcio Abud e o empresário Eduardo Santos, do Grupo Ciafal.

 

José Elísio afirmou que na reunião foram tratados vários gargalos, que traduzem reivindicações antigas, que se atendidas irão favorecer o desenvolvimento industrial da região Centro Oeste, principalmente Divinópolis, sendo uma delas: a concessão para operação de um porto seco, de modo a permitir a exportação e importação no município.

 

O secretário conta que desde 2003 já existe o terminal intermodal de transportes da Ferradura em Divinópolis - dentro do Centro Regional de Logística Integrada, parceria entre Governo do Estado e Prefeitura - o qual trabalha com todos os modais de transporte (aéreo, ferroviário, rodoviário, etc.), e é operado pela empresa privada Ferradura Logística. Esse terminal é condição primordial para concessão do porto seco, ou seja, a partir dessa estrutura já existente em Divinópolis, resta apenas o sinal verde do Governo Federal, concedendo a concessão, para que a cidade opere como uma Estação Aduaneira do Interior (EAI). “Algumas pessoas confundem pensando que estamos batalhando ainda para ter o terminal intermodal e nós estamos trabalhando para ter o porto seco. Ou seja, é uma carta de concessão e não uma obra”, explicou.

 

Segundo José Elísio essa reivindicação para que Divinópolis se torne uma Estação Aduaneira do Interior (EAI) foi repassada ao Governo do Estado em 1995 e 2003, mas sem sucesso. Agora o cenário é favorável para Divinópolis com o posicionamento da secretária que sinalizou que Minas Gerais irá “lutar para quebrar o lobby de Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo”, que impedem que novos portos secos sejam concedidos pelo Governo Federal , uma vez que esses estados consequentemente  irão perder na receita tributária.

 

José Elísio destacou que foi acordado que Divinópolis e Montes Claros serão as cidades indicadas pelo Governo de Minas Gerais nessa reivindicação. “Minas Gerais irá brigar para ter mais dois portos secos: um em Divinópolis e outro em Montes Claros. Com uma diferença, em Divinópolis o terminal intermodal já está funcionando desde 2003. Montes Claros nem tem terreno ainda, mas vai ter porque é uma região estratégica no norte de Minas”, disse.

 

Avanços

 

José Elísio destaca que a instalação do Porto Seco irá favorecer as indústrias da região com a queda na tributação e agilidade para o desembaraço de mercadorias, além da maior arrecadação do município e atração de novos empreendimentos. Minas têm cinco portos secos ou estações aduaneiras do interior (EADIs), para exportação e importação: Juiz de Fora, Varginha, Uberaba, Uberlândia e Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que é o primeiro porto seco industrial do Brasil.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.