sexta-feira, 1 de Março de 2013 12:38h Atualizado em 1 de Março de 2013 às 12:40h. EDUARDO BRESCIANI - Agência Estado

Congresso promulga fim de salário extra de parlamentares

Os presidentes das duas Casas afirmaram que estudam medidas para reduzir outras despesas do Congresso. Calheiros falou em "fusão de órgãos e remoção de privilégios"

Os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), promulgaram nesta sexta-feira o projeto que acaba com o benefício anual de salários extras para os parlamentares. Com esse ato, a medida entra em vigor cortando o pagamento que seria feito no final deste ano.

O fim dos chamados 14º e 15º salários foi aprovado na quarta-feira (27/02) pela Câmara dos Deputados. A partir de agora, os parlamentares terão direito ao benefício apenas no início e no fim de seus mandatos, a cada quatro anos na Câmara e a cada oito anos no Senado. Nos anos em que não for realizado o pagamento, a economia será de R$ 27,41 milhões para a Câmara e de R$ 4,32 milhões para o Senado. "Mais do que a economia essa decisão caracteriza o fim de um privilégio", disse Renan Calheiros, após a promulgação.

Os presidentes das duas Casas afirmaram que estudam medidas para reduzir outras despesas do Congresso. Calheiros falou em "fusão de órgãos e remoção de privilégios", enquanto Alves disse ter pedido um levantamento sobre o pagamento de horas extras a servidores e o número de terceirizados na Câmara para ver possibilidades de redução de despesas.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.