terça-feira, 18 de Setembro de 2012 15:33h Liziane Ricardo

Correligionários disputam espaço nas principais vias públicas da cidade

Como já é peculiar de todos os anos eleitorais, quanto mais se aproxima a data da eleição, mais os correligionários se multiplicam pelas ruas das cidades. E em Divinópolis não seria diferente, considerando o grande fluxo de correligionários vagando pela região central com suas bandeiras a postos e santinhos nas mãos.

 

De acordo com as regras impostas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é permitida a utilização de bandeiras móveis, desde colocados ao longo das vias públicas não dificultem o bom andamento do trânsito de pessoas e veículos dentro do horário de 6h às 22horas.

 


Pelas principais vias públicas como a avenida 1º de junho, rua Goiás e esquinas adjacentes é perceptível o aglomerado de correligionários intimidando os pedestres que passam por estas vias. Já os candidatos tentam veementemente afinar seus laços com os eleitores através do “corpo a corpo” onde é possível apresentar todas as suas intenções. No total Divinópolis conta com 366 candidatos a vereador, cinco a prefeito e 5 a vice, portanto por uma regra matemática fossemos somar o total de candidatos que atinge 376 políticos e multiplicar por 2 (correligionários trabalhado nas campanhas) é possível alcançar uma média de 752 pessoas pelas ruas em prol de seus candidatos, porém é importante lembrar que este é um cálculo meramente ilustrativo, considerando margens mais amplas de correligionários por conta dos candidatos.

 

VISITAS

 

Uma outra vertente também bastante utilizada pelos atuais candidatos divinopolitanos tem sido a contratação de correligionários para fazer visitas domiciliares em diversas regiões da cidade para como uma espécie de “senso” captar nome, endereço e telefone dos cidadãos para posteriormente colher quais são suas intenções de votos e na oportunidade os candidatos apresentarem suas propostas às comunidades. O novo método de abordagem por um lado pode ser considerado positivo, uma vez que gera empregos temporários nestes três meses da corrida eleitoral, porém olhando por outra vertente há quem não goste das repentinas visitas em suas residências após as 18horas (fora do horário comercial).
 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.