sexta-feira, 21 de Outubro de 2011 11:30h Flávia Brandão

CPI inocenta Edson Sousa a respeito de denúncias envolvendo Copasa e Trancid

Parlamentar afirma que irá denunciar todos os envolvidos inclusive o irmão Valdeci

O relatório final da Comissão Parlamentar Inquérito (CPI) - nomeada para apurar as denúncias contra o vereador Edson Sousa (PSB) levantadas, em junho, pelo tribuno José Venâncio do Amaral, sobre suposto esquema de corrupção com negociação de cargos junto à Copasa e recebimento de propina da Trancid - foi apresentado, ontem (20), em plenário. O relator da CPI, Edmar Rodrigues (PSD), disse que após as oitivas foi concluído que “nada consta” contra o vereador.  Edson Sousa, que solicitou aos seus pares, que pedissem a CPI para provar que era inocente, disse que agora irá processar todos os denunciantes, que o desmoralizaram e caluniaram publicamente.

 

 

O relator enfatizou que a Comissão fez um “trabalho extenso” juntamente com Adair Otaviano (PMDB), presidente, e Heloísa Cerri (PV) como membro. Edmar alega que a inocência de Edson foi embasada principalmente no depoimento do irmão do vereador, Valdeci Sousa - considerado peça principal - que fez acusações contra o parlamentar em uma conversa premeditada e gravada, segundo depoimentos, pelo ex-assessor parlamentar do deputado Domingos Sávio (PSDB), Ricardo Salgado. No entanto, durante a oitiva, Valdeci negou as denúncias e disse que foi impulsionado por uma briga familiar, sendo que há anos não tinha contato com Edson. “O próprio denunciante, a peça principal que seria o irmão do vereador Edson Sousa, mostrou que nada foi que falado contra o vereador se comprova, ou seja, não tem nada contra e nenhum prova”, declarou Edmar.

 

Fita inaudível


 

 

 

Questionado sobre a outra fita de uma conversa entre o ex-assessor parlamentar de Edson, Roberto Clementino, e José Venâncio com suposto oferecimento de cargo na Copasa, Edmar disse que não foi possível ouvir nada, inclusive “pessoas que tem mais experiência” não conseguiram decifrar o conteúdo. “A fita não tem nada que possa ouvir, a fita é uma confusão total, tanto é que descartamos a questão dessa fita, porque ela não fala e não prova nada”, disse.

 

A respeito da série de pessoas que o próprio Edson Sousa elencou que queria que fossem chamadas para depor na CPI, a exemplo o prefeito Vladimir Azevedo (PSDB), o deputado Domingos Sávio (PSDB), o proprietário do terreno próximo ao Guarani, entre outros, Edmar disse que o cidadão José Venâncio, afirmou que o irmão do vereador (Valdeci) tinha a denúncia contra o edil, no entanto o irmão negou tudo o que constava na fita. “Ele (Valdeci) disse que falou as acusações na hora da raiva, não viu nada, não sabe de nada contra o vereador. O denunciante principal não trouxe nenhuma denúncia contra o Edson. Não teria sentido chamar outras pessoas que não tinham denúncia nenhuma contra o vereador”, declarou

 

Edson Sousa agradeceu o apoio de seus eleitores e da imprensa e disse que tudo foi “uma armação por parte do governo do PSDB para distrair o repasse do esgoto para a Copasa”. O edil disse que irá processar, já na próxima sexta (28), todos os envolvidos - Régis Faria, tio de Vladimir Azevedo; o tribuno, José Venâncio; o ex-assessor do deputado Domingos Sávio, Ricardo Salgado; e o irmão Valdeci de Sousa. “Essas pessoas levianas, caluniadoras e irresponsáveis irão pagar o que a Justiça determina para esse tipo de gente”, declarou.
 

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.